Páginas

domingo, 5 de abril de 2009

UM DIA TALVEZ, ELES POSSAM VIR...





Quem sabe, daqui há dois mil anos eles virão. Talvez, mas ao que tudo indica, é o que vai acontecer, eles possam chegar em suas naves prateadas, que após entrar na atmosfera de nosso planeta, irão atravessar a massa de gases que terá substituído o oxigênio impuro que hoje respiramos, voando sobre o que tiver restado dos oceanos, dos rios e das florestas. Elas estarão protegidas por poderosos campos de força que impedirão que as devastadoras tempestades magnéticas lhes façam algum mal. Jovens humanos vindos do planeta Gaia, a irmã gêmea da Terra do outro lado do Universo, virão conhecer o que sobrou dela depois que interferimos na natureza. Terra. O berço de seus ancestrais.

Curiosos, eles virão visitar monumentos anciões em ruínas, exatamente como fazemos hoje com lugares como as pirâmides do Egito, a cidade perdida de Machu-Pichu, os templos dos Maias e dos Incas e as planícies de Nazca, com seus desenhos tão grandes e detalhados, que só podem ser vistos do alto, e que hoje, nos despertam tanta curiosidade e fascínio, dos quais, nem mais vestígios existirão. Em dois mil anos eles poderão vir. Quando aqui chegarem, poderão encontrar apenas enormes sulcos no solo, onde um dia foram grandes rios como o Amazonas, o Tâmisa e o Nilo, dentre muitos outros. Em lugares onde hoje existem paraísos tropicais, encontrarão paisagens cobertas pelo manto branco da neve, e a Aurora Boreal, poderá estar brilhando num céu avermelhado, sobre as terras do Brasil.

Onde antes haviam muitas fontes verdejantes, em meio a uma natureza esplendorosa, poderão encontrar ao mesmo tempo, deserto e geleiras, dunas de areias, grandes muralhas de gelo e rios de lava incandecente coexistindo lado a lado, como ainda não chegamos a ver. Não encontrarão nada parecido com aquilo que aprenderam nos livros virtuais sobre o que foi planeta azul. Geração após geração, a raça humana no planeta Terra terá chegado ao fim dos tempos de sua existência e terá se tornado em pó. Os sábios de Gaia, ensinarão aos jovens humanos de lá, que os humanos da Terra, do pó vieram e ao pó retornaram, pelas próprias mãos. Quando partirem de seu planeta, os grupos de jovens da nova geração de humanos nascidos em Gaia gritarão excitados:

Vamos para o planeta Terra!

O berço de nossos ancestrais!

Lugar de muitas memórias e imaginação!

Vamos partir!

Então, suas naves virão. Todas elas repletas de novos humanos, loucos para chegar aqui. Ansiosos para conhecer o lugar que deu origem à sua raça. Com a velocidade da luz, eles logo chegarão. Sensores eletrônicos de presença instalados no fundo dos oceanos por mãos humanas do passado, os que ainda tiverem resistido ao caos provocado por nós, indicarão em seus resgistros, o tamanho do grupo de naves que estarão chegando. Ao entrar na atmosfera, que então será composta de gases que hoje nem imaginamos poder existir, terão apenas noção das proporções dos continentes pela sua silhueta escura, destacada na imagem avermelhada do planeta que dantes era azul e que graças aos humanos, se tornou avermelhado. Guias turísticos e mestres em história, mostrarão a eles onde ficavam grandes países, berços de gigantescas nações e suas grandes capitais, assim como as principais cidades e monumentos de cada lugar.

Quando as naves estiverem sobrevoando onde um dia foi um país chamado Brasil, os mestres lhes dirão que lá embaixo, onde estarão vendo apenas vulcões em erupção e fogo saindo do solo por toda parte, um dia foi um país tropical. Um lugar paradisíaco, onde nasceram grandes artistas do passado da humanidade. Alguns conhecidos por nós, outros ainda por nascer. Uma nação onde Caetano Veloso cantava a Tropicália para a alegria da juventude Hippie brasileira. Onde Cecília Meireles escrevia e declamava os mais belos versos e poesias do romanceiro da inconfidência. Lugar onde outro grande artista, Dorival Caymmi, mostrava ao mundo inteiro todo seu talento de compositor para orgulho da pátria amada.

Onde Gal Costa e Maria Bethânia, cantaram e encantaram corações com suas vozes melodiosas. Um país de tantos talentos, de tantas artes, de tantas glórias. O Brasil das obras de Tarsila do Amaral, de Di Cavalcanti e Cândido Portinari. Berço dos grandes mestres da literatura nacional, como Graciliano Ramos; Guimarães Rosa; José de Alencar; Lima Barreto; Machado de Assis; Mário de Andrade; Luiz Érico Veríssimo; João Ubaldo Ribeiro; José Lins do Rego, Oswaldo de Andrade e outros que ainda vão surgir. Quanto desperdício! (Eles dirão) Eles também se perguntarão, porque uma raça tão inteligente, tão sensível, tão cheia de talentos e virtudes, mãe de tantos gênios da arte e da literatura teria cometido um crime tão hediondo assim? Por que tanto ódio de si mesmos? Com uma mente aberta, usando seus 100% de sua capacidade de raciocínio, eles não encontrarão explicação lógica para crime que teremos cometido.

Atônitos, ao ver nas telas de suas naves o registros digitais das imagens do que antes foi o planeta Terra, eles ouvirão os relatos de seus mestres e guias silenciosamente, com um aperto no coração. Enquanto isto, suas naves irão pairar sobre vários locais históricos de onde foi um dia um país maravilhoso, sem igual. Em muitos lugares estratégicos, como no topo do Pão de Açúcar, ou o que sobrar dele após tanta destruição, serão construídos hotéis para acomodar os turistas vindos de Gaia em busca de conhecimento. Neles, haverá sem exceção, atmosfera artificial para maior conforto dos viajantes. Poder respirar sem ser artificialmente, será definitivamente impossível num planeta como a Terra do futuro.

Grande parte dos turistas, pagarão enormes quantias em dinheiro para se hospedar em hotéis construídos em pontos especiais, por apenas uma noite, mas para poder dizer aos seus quando retornarem, que estiveram aqui. Gastarão o que for necessário para poder viver momentos únicos e aterrorizantes de encontro com aquilo que um dia, foi o lar de seus ancestrais. Turismo cultural na Terra, daqui a dois mil anos, poderá ser considerado matéria obrigatória no curriculum de cada ser humano que nascer em Gaia. Em suas naves, durante as viagens de um lugar para o outro no planeta Terra, que um dia será chamado de Planeta Vermelho, muitos passageiros adormecerão porque fugir da realidade através dos sonhos, poderá ser sua única saída para que não fiquem extremamente traumatizados, com tudo que virem de ruim por aqui.

Por entre os gazes nos céus, sobre o que restar dos oceanos, voando sobre grandes geleiras onde um dia foi o sertão brasileiro, eles poderão vir, e eles virão, se os humanos do planeta que hoje é azul não pararem para refletir sobre as conseqüências de seus atos, contra a natureza, contra o meio ambiente, e pior, contra eles mesmos. Quando estiverem satisfeitos com o aprendizado que tiveram visitando o continente sul americano, seguirão viagem rumo a outras paragens. Seu destino, o lugar onde foi o Pólo norte do planeta. Pelas imagens que viram nos livros digitais, o solo de lá antes era coberto pelo gelo e ficava no extremo norte do planeta, mas as imagens reais que irão encher seus olhos de terror, serão as enormes erupções de Geisers, que se lançarão em jatos poderosos de líquidos ácidos e com uma temperatura tão alta, que se atingissem suas naves sem que estivessem protegidas por seus campos de força, seria o seu fim.

Pouco a pouco, lugar por lugar, os novos humanos vindos de Gaia conhecerão detalhes de cada país que um dia existiu na Terra. Algumas naves já mais distantes que as outras, ao sobrevoar o que antes foi uma cidade que se chamava Paris, proporcionarão aos seus tripulantes, a oportunidade de ver surgir do lodo fedorento de enxofre, apenas a ponta de uma imensa estrutura metálica que em sua época de glória, era chamada pelos homens de Torre Eiffel. Um dia, certamente eles virão e se permitirmos que este dia chegue, teremos cometido suicídio, teremos procurado a nossa morte com as próprias mãos. Teremos usado a inteligência que Deus nos deu com a melhor das intenções, infelizmente, para este fim. Teremos matado aos poucos, desde os primórdios dos tempos, a nós mesmos e a todos os seres vivos que Deus criou.

O planeta vermelho do futuro, que hoje conhecemos como azul, terá resistido a tantas barbaridades, a tantas atrocidades, mas estará moribundo, e deserto, porque não mais estaremos aqui. Ele estara pedindo clemência para que acabem com seu sofrimento, com sua agonia. A Terra estará gritando de dor, e seu pranto, será ouvido através da imensidão do Universo sem fim. Ela estará implorando ao todo poderoso, ao nosso criador, que faça com que chegue para ela, assim como chegou para nós humanos, o dia do juízo final.


Daqui a dois mil anos, ou até muito menos, um dia talvez, eles possam vir...

Será que ainda há tempo para mudar o rumo que as coisas estão tomando?

Vamos deixar que o pior aconteça por causa de nossas atitudes impensadas?

Responda sinceramente, mas não a mim, o escritor e autor deste conto, mas a sí mesmo, contudo, pense bem antes de responder...

De minha parte, do mais fundo de meu coração...

Eu espero que não...

Autor: José Araújo


9 comentários:

Alvaro Garcia disse...

Sem dúvida que não podemos deixar que isto aconteça meu amigo!
Há tempos que nosso descaso para com a natureza e o meio ambiente vem nos trazendo desgraças e destruição ao redor do planeta!
Não é sem motivos que sou seu fã e admirador profundo como ser humano especial que você é. Seu conto é mais do que um alerta. É um aviso para pararmos de agir com inconsequencia. É um sinal claro de que um dia talvez, eles possam chegar!
Parabéns!

Vera Lucia Marin disse...

Nossa! será que é isto mesmo que vai acontecer? Não tinha parado para pensar nisto, mas agora, lendo seu texto, minha ficha caiu! Meu Deus! Que barbaridade estamos fazendo! Corremo e corremos o dia todo, a semana toda, o mês todo, o ano todo no trabalho e é tanto, que esquecemos de viver. Esquecemos que a vida é mais do que a eterna alienação em que vivemos! Minha resposta, definitivamente, é não!
Obrigada por este texto que não tem preço!

Beijos!

Sua mais nova leitora,

Rogerio Rascall disse...

Dá até medo deste chegar antes e eu estar por aqui para presenciar tal desgraça!
Perfeito!
Como sempre, você é certeiro quando faz a sua mira e atira no alvo meu escritor favorito!
Assim como voce conseguiu me sensibilizar, tenho certeza de que irá conseguir fazer o mesmo com todos aqueles que tiverem a chance de ler este conto.
Vou fazer a minha parte e vou espalhar aos amigos para que leia.
Se cada um de nós fizer a sua parte, a gente vai conseguir mudar os rumos das coisas e um dia talvez, eles não precisem chegar.

Sucesso! Beijos!

vaninha disse...

Meu amado amigo do coração!Ai que saudades, dói mesmo ficar tanto tempo afastada de voce, sem ter noticias suas, apenas uma longa espera. Mas tudo tem seu tempo certo, voce me viu, atendeu meu pedido e aqui estou muito feliz. Nunca vou te esqueçer e não vejo a hora de poder te abraçar de novo. Quem sabe em setembro, quando da Bienal, vamos ver! Voce está de parabéns, cada dia escrever melhor, textos complexos e reflexivos. É verdade, nós, seremos humanos, estamos fazendo tudo errado, temos consciencia, mas não temos a razão, a ação, de melhor a qualidade de vida, de um modo geral. Que mundo Senhor, onde vamos parar?
José, saber que voce vai ler esse comentario, que seu coraçãozinho está ai batendo, ah....que alegria para mim! Te adoro, muito...sempre! Beijos, Deus abençoe vc, sua familia, todos os seus dias!!! :o)

Isaulina disse...

A propria humanidade é que destroi a natureza jogando lixo em céu aberto eles não tem noção do que pode acontecer mais se cada um fizer a sua parte com certeza tudo pode melhorar.
José Araujo eu ja estava triste sem a sua presença, mais é tão desagradavel ficar sem sua presença, rsrs não posso passar muito tempo sem o meu unico e preferido escritor que ja fico desinquieta rsrs
Mais não tem problema o importante é que você sempre esta presente isto é muito gratificante para mim! quando vejo chegar mensagem sua aqui na minha pagina meu coração bate mais forte rsrs e eu fico anciosa para receber uma mensagem sua rsrs eu te amo meu amigo querido e quanto esta mensagem que você publicou sobre o meio ambiente todas as pessoas deveriam ler para tomar ciência da gravidade parabéns meu caro amigo mais uma vez como tantas outras você sempre nos emocionando com a mais pura verdade. É muito gratificante chegar até aqui e se deliciar com estas leituras maravilhosa que você faz muito obrigada amigo querido por partilhar comigo os seus contos e reflexões beijo neste maravilhoso e humilde coração ♥

Naira disse...

viajar no futuro parece ser aterrorizante, mas nao estaremos aqui para ver. paciencia aos que virao, terao de se adaptar assis como nos nos adaptamos.
vc. so esqueceu de me citar como lamento pelos contistas em potencial, que aqui nao mais estarao. bjus

Naira disse...

pensar no futuro parece ser aterrorizante e lamentavel, mas certamente quem vier terá que se adaptar assim como nos nos adaptamos.
vc. so esqueceu de citar o lamento pelos contistas em potencial como eu e muitos outos. confie que tudo ja esta programado. bjus

Naira disse...

quando eu mando varias vezes a mesma coisa e pq. sou mesmo poia em informatica, quase nada sei, so tento, as vezes acerto, as vezes nao

Anônimo disse...

Good brief and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Thank you on your information.