Páginas

domingo, 2 de agosto de 2009

PERSPECTIVAS DA VIDA


Quando Luiz Roberto era ainda uma criança, sempre podia contar com seu pai para olhar as dificuldades que surgiam em sua vida sob outra perspectiva, fosse um arranhão jogando bola, uma pipa perdida porque a linha se quebrou, ou até mesmo, um coração partido na fase em que já era um adolescente. Anos depois, já um quarentão, ele tinha um bom cargo na empresa em que trabalhava e financeiramente levava uma vida estável. Como na vida tudo tem suas fases boas e ruins, de repente, a empresa para a qual ele trabalhava o demitiu para substituí-lo por outro profissional, muito mais jovem, ocupando o mesmo cargo e recebendo um salário bem menor que o seu. Quando ele recebeu a noticia de sua demissão, seu mundo desabou.


A situação ficou ainda pior quando sua namorada o trocou por outro, alegando que eles não tinham futuro juntos e seria melhor para os dois terminarem enquanto ainda era tempo, para não sofrerem mais depois. Luiz Roberto não conseguia imaginar o que mais de ruim poderia acontecer, mas as coisas pareciam ficar cada vez piores. Apesar de ter economizado por anos, de possuir uma boa casa, ele não poderia se dar ao luxo de ficar sem uma fonte de renda, caso contrário em pouco tempo se esgotariam suas economias. Ele precisava trabalhar porque além de arcar com a manutenção da casa, pagando os empregados domésticos que tinha, ele também ajudava seu pai que morava no interior de Minas Gerais, que com uma idade avançada, nem mesmo tinha uma aposentadoria para se manter. Chegou um momento, em que ele estava arrasado. Não tinha mais ânimo para nada.


A cada entrevista que fazia candidatando-se a uma vaga, a resposta era sempre a mesma. Não! Perdera a mulher que amava na seqüência dos acontecimentos ruins e estava passando por uma série de outros problemas pessoais, causados por tudo que estava lhe acontecendo. Tudo de ruim parecia estar acontecendo como num espetáculo de queda de dominós, quando cada peça cai, uma atrás da outra, numa seqüência rápida e incontrolável. Em dado momento, precisando de ajuda e se sentindo totalmente derrotado, Luiz Roberto resolveu ir ao encontro de seu velho pai no sítio onde morava. Após ter ficado lá por uma semana, no ultimo dia de sua visita, eles estavam sentados na varanda da velha casa que dava uma vista maravilhosa do por do sol. Seu pai como sempre, não perdia o espetáculo do sol se pondo ao longe por detrás dos montes. Luiz Roberto não conseguia mais suportar a angustia, o sofrimento e a pressão pelas quais estava passando nos últimos tempos.


Pensando em como sua vida estava toda descontrolada, com a incerteza do que ainda estava por vir em sua vida, em dado momento ele disse ao seu pai que se juntássemos todos os momentos felizes de nossas vidas, ele tinha certeza de que não dariam meia hora. Ainda absorto, apreciando o espetáculo maravilhoso do por do sol naquela tarde, com céu no horizonte em tons de rosa, laranja, vermelho e dourado, sem olhar para ele, seu pai respondeu que ele tinha toda razão. Atônito com a resposta dele, ele o olhou boquiaberto. No estado em que ele se encontrava, ele esperava que seu pai, como sempre, tivesse uma solução para todos os seus problemas, mas seu velho estava imóvel, estudando cuidadosamente o sol se por ao longe no horizonte.


Quando o astro rei acabou de desaparecer por detrás dos montes, com lágrimas nos olhos, seu pai virou-se em sua direção, e, olhando-o fixamente nos olhos, fez a ele uma afirmação e uma pergunta que mudou a vida dele para sempre.


--Estes poucos momentos meu filho, são como grandes tesouros, não são?


Autor: José Araújo

4 comentários:

mdb disse...

José, é uma lição que temos que ir tirando da vida.
O velho pai, era sábio em dizer que, aqueles breves momentos fora um tesouro e com certeza que foi.
Nós temos que dar valor nos momentos vividos, que nos fizeram bem, para quando chegar as tristezas, termos força para surportar.
O velho já vivia de lembranças, conformado com a vida que levava e o filho teria que buscar ajuda de seu próprio interior. Só assim conseguiria se erguer novamente.

Jose, vou partilhar com você o que eu colhi hoje. Foi um momento que significou um tesouro mesmo.
Meu pai aos seus 91 anos, teve um momento de ludidez e disse-me:_você é minha filha adorada, minha querida!
Jose, foi um presente que ganhei. Fiquei muito emocionada e feliz, meu pai lembrou que eu era a sua filha amada.Sou muito grata a Deus por isso.
José, seu conto valeu muito pra mim.Você é muito especial meu amigo querido!
Beijos e obrigada por existir em minha vida.
Marilene

Isaulina disse...

José Araujo eu amei achei muito lindo esta história!!
Nesta vida nós temos que contentar com o que temos principalmente se temos saude, e desposição para correr atras,
Eu achei muito lindo a atitude do velho pai contenplando o sol se pondo,e também a frase magica que ele falou para o filho que com certeza serviu para refletir- lo
Tem pessoas que perdem o emprego e ja acha que o mundo desmoronou, mais não deve agir assim tem é que pedir força a Deus e correr atras
Tem é que agradecer a deus a dadiva da vida, só de temos o folego de vida ja é um tesouro, o a vida é uma das coisas mais preciosa que temos, e não importa se somos ricos ou pobres, o que importa é que temos vida e devemos dar muito valor a ela enquanto vivemos, nós deveriamos olhar mais para o nosso interior e deixar de se preocupar com coisas externas
José Araujo muito interesante este conto, contem poucas palavras mais de grande valor.
José Araujo agora sou eu que digo para você de todo meu coração os seus contos são todos um grande tesouro!!
Meus parabéns amigão que você brilhe cada vez mais você merece
Um beijo de sua amiga que te admira muito, Deus que te abençoe cada vez mais

Nara disse...

Querido amigo e escritor idolatrado! Você, a cada conto que leio, demonstra uma sensibilidade ímpar em relação ao ser humano.Você consegue, através de suas palavras nos levar a refletir sobre nossas próprias atitudes diante da vida, principalmente diante dos reveses que muitas vezes somos obrigados a enfrentar. Depende da maneira como cada um reage diante dos acontecimentos: indo à luta ou entregando os pontos. O tesouro está dentro de nós, porém, é necessário buscá-lo.
Mais uma vez, José, tenho que parabenizá-lo pelo seu crescimento como homem das letras.
Sucesso sempre, amigo, e que Deus continue lhe dando muita luz para nos agraciar com palavras ditadas por um coração transbordando de amor!
Beijos da amiga e fã:
Nara.

Patrícia disse...

José Araújo muito interessante essa afirmação e pergunta. Acho que o filho já entendeu e nós tbem rsrs. É uma reflexão que devemos fazer diariamente, as vezes nos perdemos em coisas fúteis que não enxergamos como tal e acabamos por nos desesperarmos por coisas que aparentemente chegam para nos abater e esquecemos das coisas que realmente importam e que são pequenas mas de imenso valor como um passeio com alguém,um por do sol,um abraço,um momento, as vezes um olhar em silêncio e pronto somos previlegiados,abençoados e ricos novamente.Só temos que agradecer sempre.

Parabéns adorei a reflexão, um beijo da amiga Patrícia