Páginas

domingo, 13 de abril de 2008

O CAÇADOR DE CONCHAS...


Naquele final de semana, eu havia descido para o litoral na sexta feira após o trabalho, precisava dar uma olhada na casa, antes do pessoal descer no sábado, eles iriam juntar-se a mim num tão esperado final de semana na praia, para bater papo, trocar idéias ou apenas jogar conversa fora, mas o importante é que estaríamos todos juntos, mesmo que só por dois dias.

Aproveitei minha solidão naquela noite de sexta para sábado, para relaxar e dormir ao som das ondas do mar quebrando-se nas rochas, fui deitar-me cedo, pois pela manha eu queria mesmo era fazer algo que sempre gostei, ou seja, caçar conchas nas areias da praia, enquanto a maré ainda esta baixa, pois é a melhor hora para encontra-las.

Eram seis da manhã quando me levantei, tomei um banho rápido, tomei um pouco de leite e sai de casa rumo à orla marítima, para me dar a um luxo tão raro, de estar presente e fazendo parte da natureza exuberante, de um lugar que tanto amo e que sempre tive tão pouco, ou quase nenhum tempo para estar ao lado dela, depois que me tornei um adulto.

A casa era bem em frente ao mar e em poucos passos, eu já estava pisando na areia, sentindo o milagre da natureza envolver meu corpo, meus sentidos, meu ser...

A praia estava deserta e pude caminhar por um longo tempo, caçando minhas conchas, sem me preocupar com nada, apenas vivendo aquele momento, que me dava um prazer enorme e que sempre me fez muito bem.

Havia já achado várias conchas, algumas pequenas e outras grandes, de várias formas, de várias cores e quando me dei por conta, já eram quase dez horas da manhã, o dia estava agradável e a praia já tinha algumas pessoas, aproveitando o horário em que o sol é mais ameno.

Peguei minhas conchas e já ia me preparando para voltar para casa, quando vi não muito longe de onde eu estava, um casal sob um guarda sol e uma criança sentada um pouco distante deles, debaixo de outro e ela, de uma forma que não sei explicar até hoje, chamou minha atenção.

Era uma menina, devia ter uns cinco ou seis anos, pele branca como leite, olhos de um azul celestial e cabelos louros, encaracolados, exatamente como um anjo, sim, ela me lembrou um anjo e eu fiquei observando-a de longe, enquanto ela sorria, agitando a cabeça e balançando seus cachos dourados, acariciados pela brisa do oceano.

Não pude resistir e me aproximei, eu sempre fui apaixonado por crianças e naquela época, eu ainda era solteiro, somente tinha sonhos de ser pai algum dia, esperava receber de Deus a dádiva de poder ajudar a conceber uma vida, tendo a felicidade de poder amar e cuidar dela, mais do que de mim mesmo, educando e preparando-a para seguir seu próprio caminho, um ser humano confiante em seus passos, em si mesmo, mas sem nunca esquecer, quem eu fui um dia em sua vida, mas eu sempre soube, que para que isto um dia pudesse se tornar realidade, só iria depender de mim, de meu comportamento perante a Deus e à vida.

Ao chegar perto do casal, pude perceber que eles estavam com um olhar triste, observando o mar com olhares distantes, vi que estavam calados, como se estivessem fazendo alguma prece, ou simplesmente meditando, não foi possível deixar de pensar, por que não estavam felizes e sorridentes, esbanjando alegria, como aquele anjo lindo, cheio de luz, sentado ao lado deles, sorrindo, com uma expressão de paz em seu rosto, que trouxe lágrimas aos meus olhos.

Acanhado, cumprimentei o casal e perguntei se poderia falar com a menina, pois queria dar a ela uma das lindas conchas que havia encontrado, eles agradeceram a gentileza, permitindo que eu o fizesse e foi então que eu descobri, porque estavam tão distantes, quando me aproximei.

A mãe da menina olhou-me bem dentro dos olhos e disse que eu poderia falar com ela, mas infelizmente, ela não poderia me ver, pois era cega, desde que nasceu.

Uma dor profunda tomou conta de meu coração, por saber que aquele anjo, tão lindo e cheio de vida, não podia ver a beleza do mar e das conchas que eu havia encontrado, que ela nunca viu, nem iria ver, a natureza em todo seu esplendor.

Perguntei ao casal, se não havia nenhuma esperança de cura para ela e me disseram que infelizmente, os médicos haviam descartado esta hipótese, ha mais de um ano atrás.

Entristecido, dirigi-me para onde ela estava sentada e não pude compreender, o motivo do sorriso em seu rosto, um sorriso permanente, como se ela fosse a mais feliz de todas as pessoas neste mundo e de vez em quando, ela balançava a cabeça, fazendo sinais, como se estivesse falando com alguém.

Sentei-me ao lado dela e instantaneamente, ela se virou em minha direção, fixando em mim aqueles olhos lindos, como se por um milagre estivesse me vendo e então ela falou:

”Oi!”.

Não posso descrever a emoção, nem mesmo o que realmente eu senti naquele momento, pois foi incrível a forma como ela percebeu minha presença e virou-se, exatamente em minha direção.

Com voz embargada, eu respondi a ela e perguntei...

“Oi!”

Qual é seu nome menina linda?”

Em sua resposta, veio o que de alguma forma mágica e misteriosa, meu coração já sabia:

”Meu nome é Angelita, e o seu?”.

Meu coração acelerou, senti um nó em minha garganta e quando finalmente consegui responder, disse a ela que meu nome era Pedro e nós conversamos bastante, foi impressionante ver a maneira como ela movia os olhos e cabeça em direção aos sons, como se estivesse vendo tudo, como qualquer pessoa normal.

Ela pagava punhados de areia com suas mãozinhas e enquanto falava, deixava escorrer por entre seus dedinhos, sorrindo e falando sobre os sons da natureza e sobre a maneira como ela imaginava que as coisas eram vistas, por aqueles que tinham recebido de Deus, a graça, de poder enxergar.

Fiquei encantado com aquele anjo, tão lindo, tão especial, que não tinha asas para poder voar, mas não havia perdido a alegria de viver, de sentir as coisas e ver o mundo à sua maneira, ela havia aprendido em sua imaginação a voar livre, leve, solta, de uma maneira só sua e que a fazia feliz, tão feliz, quanto qualquer um de nós que tem o poder da visão pode ser, se assim o escolher.

Peguei a concha mais linda que havia encontrado e dei a ela, descrevendo como era seu formato, suas cores e dizendo que ela tinha um poder mágico, que poderia guardar dentro dela, toda a imensidão do oceano e para provar isto, era só colocar-la junto ao ouvido, que se poderia ouvir o som do mar.

Angelita pegou a concha com as duas mãozinhas, de uma forma firme, mas delicada, sentiu seu formato com a ponta de seus dedinhos e eu a ajudei a coloca-la perto de seu ouvido, para que ela pudesse ouvir, o som do mar.

Ela pressionou a concha em seu ouvido e ficou ouvindo atentamente e aos poucos, um sorriso mais largo ainda foi tomando conta de seu rosto, ela não se conteve e perguntou:

”Tio, o mar esta mesmo dentro dela?”.

Aquela pergunta me deixou momentaneamente sem resposta, mas aos poucos, me recuperei da forte emoção que estava sentindo ao lado daquele anjo e disse a ela com voz calma e confiante, que quando o papai do Céu fez o mar, as ondas e as areias, ele fez as conchas, que teriam a grande responsabilidade de proteger o mar e por isto, tinham o poder de carrega-lo dentro delas, pois se um dia, algo colocasse a existência dele em perigo, elas o esconderiam dentro de si mesmas e com isto, mesmo que ele deixasse de estar presente fisicamente na vida de algumas pessoas, elas poderiam ouvi-lo dentro delas, onde quer que estivessem, para matar as saudades e alegrar seus corações.

Ela sorria, segurando a concha encostada em seu ouvido e seus lindos olhos azuis, pareciam refletir a luz do sol, eles brilhavam de alegria e eu pude naquele momento, sentir que a luz divina, brilha mesmo para aqueles que não podem enxergar como nós e que muitas vezes, aqueles que podem ver, não a enxergam, como os pais de Angelita, pois já não existe mais fé em seus corações e acabam por viver, na mais completa escuridão.

Angelita foi um anjo, que cruzou o caminho de Pedro, um caçador de conchas e narrador desta estória, para permanecer em seu coração pelo resto de sua vida e ela, com toda a sua luz, ensinou a ele que tudo pode ser, que tudo pode acontecer, quando se tem dentro de si, a fé em Deus e o amor pela vida, que não somente é possível enxergar sem ter a faculdade da visão, desde que a gente deseje aquilo que queremos, de todo coração e aquele anjo, em forma de menina, tinha dentro de si, um sentimento imenso chamado amor e no caso daquela criança, tão cheia de luz, era direcionado a uma única coisa, a viver sua vida, a única que ela tinha, da melhor maneira possivel, mesmo tendo sido privada de ver as coisas como nós as vemos, desde que nasceu.

Aquela criança, tinha algo dentro dela, que falta a muitos de nós, que reclamamos o tempo todo, de quase tudo na vida, sem motivos, sem sermos deficientes fisicamente, em nenhum sentido, ela tinha um amor incondicional pela vida, que era sincero, verdadeiro e era isto que a fazia feliz que lhe conferia o poder mágico, de ser capaz de enxergar coisas que muitos de nós, nem sequer chegamos a ver, por toda uma existência, mesmo tendo recebido de Deus, a dádiva da visão.


Autor: Jose Araujo

Fotografo: Jose Araujo (Shells - Acervo particular 2006)

18 comentários:

BRUNNO 100% EU disse...

olá papai o seu texto é muito interessante e tem muitas palavras difíceis MELHORAS BEIJO TCHAU TCHAU

Yonne Barbosa Fechener Waksman disse...

Comovente, bem escrito, prende a atenção, verdadeiro... Meus parabéns, poeta-fotógrafo! Gostei muito do seu conto.

Eliane disse...

Olá!! Bom domingo, esse texto realmente é muito interressante,adorei,como disse a yonne, prende a atenção mesmo, nos leva a navegar nas entrelinhas, que bom poder ter acesso á escritas tão bem colocadas, é um prazer ler textos tão bem redigidos.

Abraços.

mdb disse...

Os pais nunca estão preparados para ter um filho deficiente. Para eles parece que é um castigo. Esquecendo e nem notando que foram presenteados com um anjo.
A vida nos dá muita surpresa, pois quantas pessoas nascem perfeitas e de repente fica deficiente por qualquer causa.
Já quando nasce com a deficiência para aquele ser de Deus, é menos sofrido pois nunca viu nada então não se revolta. Aceita e é feliz como Angélica.
Os pais deviam viver a felicidade da filha e não ficarem como mortos vivos. A falta de fé faz muito mal ao ser humano e os torna muito infelizes.
Ainda bem que foram felizes em escolher o nome daquele anjo.

Jose muito lindo e emocionante e me tocou pela visão que tanto preso. Amigo querido é o meu escritor preferido. Te amo amigo. Marilene Dias.

jane disse...

me apaixonei por esse conto....lindo....realidade do nosso dia a dia...

Angelita..realmente um anjo....

Parabens amigo......vc é um grande ANJO

Gloria Meirelles disse...

Querido José, mais uma vez voce nos presenteia com um conto maravilhoso, cheio de luz, de amor, de fé, um conto que desde o inicio prende nossa atenção e a cada paragrafo é possivel sentir a pureza de alma que voce tem meu amigo!
Pedro, seu personagem narrador recebeu de voce um presente divino, o presente de sua criação e com ele voce nos trouxe um anjo com nome de anjo e que nos trouxe uma mensagem de amor pela vida, pelo que temos, da maneira que temos!
Parabens mais uma vez meu amigo!
Voce é um anjo que só nos tras paz, amor, energias positivas, fé em Deus e na vida!
Beijos querido amigo e uma semana perfeita pra ti!

Oswaldo Meirelles disse...

Caro amigo José, eu e a Glória ficamos sempre extasiados ao ler teus contos!
Saiba que voce já é assunto obrigatorio em nossos encontros com a familia e amigos nos finais de semana e a cada conto teu, muitos e muitos outros assuntos são discutidos baseados neles.
Voce tem uma mente pura rapaz, uma mente privilegiada, uma daquelas que Deus escolhe para nos mostrar através da arte, o caminho em direção à luz do amor e da fé!
Angelita, seu personagem criança/anjo e Pedro o caçador de conchas, nos trouxeram em um só conto, muitas lições de vida meua amigo!
Faço sempre questão que meu netos leiam tudo que voce escreve e faço questão de que meu amigos o façam tambem, e isto José, porque voce nos passa um bem estar enorme e nos envolve o coração com sua fé em Deus e na vida!
Parabéns mais uma vez amigão!
Fico sempre agradecido a Deus e à Gloria por ter colocado voce em meu caminho!
Boa semana José!
Abraços com muito louvor ao teu talento e ao ser humano único que és!

Nadja disse...

Amigo querido, que lindo seu texto, que lição de vida! Realmente nos leva a refletir sobre pequenas coisas que nos incomodam tanto, às vezes tão desnecessárias e bobas. Quantas pessoas vivem seus enormes problemas com serenidade, aceitação e agradecimento por terem a chance de estarem com vida e na maioria das vezes produtivas.
Seu anjo tão bem reproduzido nos serve de alerta para valorizarmos mais aquilo que Deus nos dá e podermos sempre dar graças pela familia, amigos, nosso trabalho e tudo aquilo que nos passam desapercebidos dentro do nosso dia a dia mas de extrema importancia.
Sua alma é linda, e vc é meu amigo amado e querido.
Obrigada pela leitura que vc me proporcionou apesar de está fazendo arte, não era para estar abusando, lembra?
Beijos querido, ler você é o meu bálsamo no final da noite.

Jornal Digital disse...

Muito bom poetieco profundo você e seu olhar clínico de quem vai alem do que os meros mortais...Quando agente acha que vc mostrou o seu melhor, você nos traz uma nova mensagem de uma forma muito particular conitue sempre assim meu amigo superando todas expectativas,com sua escrita que toca o coração e que nos faz refletir as coisas importantes da vida.

Deus ti abençoe sempre beijos

Nuno Joaquim Cascais disse...

Vi teu endereço no Hi5 e vim conferir seu trabalho e gajo, és muito especial!
Cá da Ilha da Madeira, eu um portugues que viveu muito tempo no Brasil e que carrega o sotaque paulista até hoje, mato a saudade da cultura que ainda mora em meu coração.
É bom demais a gente ter a oportunidade de ler textos como o seu, tão escassos cá e que fazem bem à alma e ao coração!
Gostaria que fizesses um carinho cá a teu amigo portugues e sempre que postasse algo novo avisse este amante da boa leitura que sou eu.
Abraços calorosos de além mar meu amigo!
Estou indo para Lisboa amanhã e de lá acesso a web pra te dar um alô!
Felicidades e muita saude!

Edson Brunetti disse...

Cara, cheguei até teu Blog através do Eduardo, nosso amigo em comum e poss dizer que tudo que ele falou a seu respeito e verdade e muito mais!
Voce escreve coisas que de uma forma ou de outra toca a gente bem fundo no coração e em muitos trechos de seus textos refletem a vida da gente em algum momento, seja no presente, seja no passado.
Este teu dom é algo sublime Jose e não pode ser desperdiçado!
Junte seus contos e publique um livro!
Voce tem em maos um vasto material que eu aposto o que voce quiser iria da um livro campeão de vendas em todo o Brasil.
Nem pense em dizer que não se trata disto, pois com sua simplicidade e humildade nata, sei que não concorda com o que eu disse, mas vá em frente Jose, deixe que muito mais gente conheça seu trabalho, que aliás, é um verdadeiro espetáculo de capacidade e criatividade!
Sei que caio no comum Jose, mas meus parabés!
Abração!
Edson Brunetti

Douglas disse...

Nossa meu amigo, é muito comovente seus contos, me fez chorar...Não de tristeza mas sim de alegria por tamanha beleza, e fiquei imaginando Angelita aqui comigo, brincando comigo e com as minhas conchas, que também recolho da areia para guardar comigo um pouco dos momentos mágicos que vive junto ao Mar... Suas palavras são belas, você é belo!!! Muito obrigado por existir, você também é um Anjo sem asas! Grande beijo nesse coração lindo meu amigo! Te admiro muito!!!

lucila disse...

Muitos de nós com certeza,não agradecemos a Deus por tudo de bom que ele nos dá.
Parabéns Jose
Que seu coração e seus
sonhos sejam renovados e

Fortalecidos por DEUS!

Anônimo disse...

Tudo o q nos escreveu neste conto meu amigo só serve p/ nos mostrar o quanto desperdiçamos e anulamos todos os dons q Deus nos presentiou. Nossa rotina de vida, da cidade principalmente, não nos dá muita escolha, sempre correndo, sempre acelerados, não paramos p/ realmente ouvir alguém q precisa ser ouvido, não paramos p/ relamente sentir a essencia de tudo e todos q fazem parte do nosso cotidiano e digo isso no geral, nossa alimentação por exemplo, paramos p/ degustar alguma coisa??? claro q não, nunca dá tempo, estamos no pique não dá p/ parar, essa é a desculpa esfarrapada de praticamente todos q conheço, incluo vc viu mocinho, rsrsrs...
A beleza do universo está dentro de nós e este é o motivo da nossa linda anjinha ser tão feliz ela sentia com o coração.
Para o meu deleite e de todos q gostam de uma boa leitura como sempre um lindo conto, aguardo com ansiedade a próxima publicação.

Beijos. Rose Cruz

Manuel Humberto disse...

Muito gira teo Blog caro Jose!
Se rodares o mundo em busca de pessoas que gostam de ler um bom livro encontrarás muitas delas, pois a humanidade de sede d`aprender, mas se buscares aqueles que procuram num livro os segredos ocultos da alma e do coração, encontrarás muito poucos, pois neste dias tão atribulados da sociedade moderna, as pessoas são mais materialistas que espiritualistas.
Este não é meu caso, pois busco sempre aprender mais e mais sobre a alma e o coração humano e o que encontrei em seu blog foi maravilhoso. Me encantastes caro Jose!
Trazes no peito um coração D`ouro e dentro de si uma alma pura e absolutamente linda!
Congratulações pelo ecxelente trabalho que fazes neste espaço e noutros tambem!
Depois de viver no Rio de Janeiro mais de 20 anos, cá estou nos Açores e te envio neste momento, um abração de teu admirador Portugues!
Manuel Humberto

Família disse...

Lindo! Lindo! Lindo! Só de um coração tão puro como o seu pode sair coisas tão fantásticas como esta, parabens! Me vi na praia catando conchas vi o senário o mar azul, a menininha, que coisa linda, vc tem que escrever mais não pode parar, que sentimento puro, que coisa estupenda vc é D++++,o que vc poe no papel ou na tela vem lá de dentro, do fundo, assim como vem o amor, por isto é tudo lindo, vc é lindo. A vida é tão simples e os adutos é que complicam as coisas, temos que sempre ter a alma e o coração de criança com esta pureza dálma. Meu querido amigo parabén!Vc é muito bom te adoro. Um grande abraço em seu coração tão puro

vera pariz disse...

AMIGO....VC É MEU PERSONAGEM PREFERIDO,POIS IMAGINO VC VIVENDO TODOS,E É VC ,POIS É UMA MOMENTO MÁGICO QDO LEIO.POIS É AMIGO,ISSO É ENXERGAR E SENTIR COM O CORAÇÃO.PODEMOS VER E MUITAS VEZES PARECE QUE VEMOS POR VER E NÃO SENTIMOS A BELEZA DE TD QUE DEUS NOS PROPORCIONA.A VERDADEIRA BELEZA DE TD ESTÁ EM SENTIR MESMO COM ESSE AMOR MAIOR QUE VEM DE DENTRO,COM A PRESENÇA DE DEUS NO CORAÇÃO.VER COM OS OLHOS DE DEUS.AH...NÃO SEI SE ESTOU CONSEGUINDO ME EXPRESSAR DIREITO AMIGO.MARAVILHOSO SEU TEXTO,VERDADEIRO E ESPECIAL ASSIM COMO VC.
BJUS...NO SEU CORAÇÃO....DEUS TE CUIDA E ABENÇOA SEMPRE....

jaira disse...

ola amigo adorei a sua historia é mais linda q eu pude ouvir. eu tbm sou uma catadoura de conchas do mar. a muito tempo atras eu fui morar enbaixo de uma ponte com 2 fillos peguenos por motivo de me separar do meu marido q mechia com trogas e so achei a ponte para me esconder com os meus filloscomo n tinha oq faser comessei ajuntar conchas para passar o tempo . depois de 31anostudo passou e hoje sou voluntaria para 110 familias carentes dos bairros aq na minha humilde casa encino elas a faser brabalhos com conchas do mar para poder tirar o sustentos delas .com honestidades tenho o projeto sonho de jaira.tudo isto é de grasa por que deus me deu o encinamento de grasa hoje sou funcionaria publica da prefeitura do guaruja e sou muito feliz de poder encinar tantas pessoas que precisam aprender.tenho 50 anos e o meu projeto sonho de jaira fez 6 anos agora dia 13 05 so posso dizer q. deus tem sempre um conforto para nois .sabe fico feliz quando eu vejo elas ganhar o dinheiro delas com q aprenderam comigo tem pagamento mais bonito que este eu desconhesso.meu nome é jaira sa silva pinto fone 013 30124888 as tv estam aq sempre fasendo as filmagem. é tv e jornalsempre vem aq para nos visitar e faser as materias deles . vc ve esta é a minha historia de catadoura de conchas . espero que vc n se aborreça de poder te contar a minha historia tbm de vc se chateou mil perdão n foi esta a minha intenção. fica com deus e deus te abençõe .aq o meu himeio.sonhadoradoguaruja@hotmail.com