Páginas

sábado, 26 de abril de 2008

UM PEDIDO ESPECIAL...


Filho, desde que sua mãe se foi deste mundo, quase não tive tempo para estar com você, para lhe dar atenção do jeito que voce precisa, mas hoje, cá estou eu, sentado ao seu lado em sua cama, vendo você dormir e a expressão angelical em seu rosto, faz meu coração bater mais forte, sinto um nó em minha garganta e duas lágrimas que brotam em meus olhos rolam livremente, enquanto pouso minha mão sobre a sua.

Há poucas horas atrás, eu estava sentado em minha mesa no escritório, sentindo uma tristeza enorme tomar conta de mim enquanto eu lia os jornais de hoje. Como sempre, eles estavam repletos de noticias ruins, tais como assaltos, estupros, roubos, assassinatos e não pude deixar de pensar em você e quando saí do trabalho, fui correndo te buscar na casa da Tia Emilia, ansioso para te olhar bem de perto, te trazer para casa e sentir que pelo menos com voce, estava tudo bem.

Pela manhã fui impaciente com você, enquanto se vestia demoradamente para que eu pudesse te levar para a casa de sua Tia para poder ir trabalhar, afinal eu já estava muito atrasado, não tinha tempo a perder. Disse que você deveria ser mais ágil, porque nada se consegue na vida arrastando-se lentamente, porque a vida passa muito depressa e se a gente bobear, acaba ficando para traz e que se voce demorasse mais, eu o deixaria em casa, sózinho e fechado o dia inteiro, para aprender a ser mais rápido, como em meu conceito de adulto, alguem deve ser.

Não contente em te dar um sermão por causa de sua lentidão, ainda briguei com você por ter deixado cair leite com chocolate na camiseta branca que voce tinha acabado de vestir e não satisfeito com isto, ainda tirei de você o resto de seu café da manhã, sem deixar voce terminar de se alimentar, lançando sobre voce, um olhar reprovador.

Lembro de ter balançado a cabeça com um sinal negativo, como se estivesse lhe dizendo que aquela não era a primeira vez. Você sorriu timidamente, se levantou da cadeira, trocou rapidamente de camiseta e foi me esperar no portão. No começo da noite, logo que chegamos em casa, tive que fazer algumas ligações de negócios e enquanto eu falava com um cliente, você fazia o maior estardalhaço, cantando alto e dançando como um louco na sala em meio aos seus brinquedos. Por causa disto, eu acabei por gritar com você muito nervoso, lhe pedindo para parar e respeitar o fato de eu estar falando ao telefone.

Voce pareceu não me ouvir, perdi o meu controle e gritei para que você fosse arrumar a bagunça que estava em seu quarto, antes que eu lhe desse algumas palmadas, que alias para mim, já eram mais do que merecidas. Agi com você como se eu fosse um General do exercito, apenas dando ordens e esperando o cumprimento delas por um soldado raso, sem nenhuma contestação.

Poucos tempo depois, após nosso jantar turbulento, com voce deixando comida cair fora do prato e eu brigando com voce por te-lo feito, eu estava assistindo o Jornal da Globo, prestando atenção às reportagens, quando você me interrompeu, perguntando se eu queria ver um desenho novo que você fez e eu respondi que não, que agora não era o momento para isto e então, você saiu da sala de mansinho e como sempre, eu não lhe dei atenção. Passados poucos minutos lá veio você de novo e desta vez, perguntou se eu não poderia ficar em sua cama até você dormir, porque você estava com receio de alguma coisa e eu fiquei mais bravo ainda, dizendo para voce ir dormir imediatamente e parar de me pertubar.

Eu disse a você que da próxima vez que me interrompesse, eu iria fazer você ficar de castigo para aprender a não perturbar as pessoas na hora errada e então você saiu da sala mais uma vez, sem dizer mais nada, de cabeça baixa, mas em poucos minutos, você estava de volta. Você entrou na sala lentamente, na ponta dos pés, chegou perto de mim e passou seus braços em volta do meu pescoço, dizendo que me amava, me deu um beijo carinhoso, me dizendo boa noite e do mesmo jeito que você apareceu, você se foi, quase sem eu perceber.

Depois disto, fiquei em silencio olhando a TV, mas na verdade eu nem estava vendo nada, meus pensamentos estavam em você meu filho e um remorso enorme tomou conta de mim. Tentei lembrar em que ponto do dia eu havia perdido o controle de mim mesmo, em que ponto da vida, eu me tornei tão insensível, ignorando suas necessidades, suas carências e às custas de que?

Você não fez nada demais para que eu pudesse ter agido assim, tudo que você queria, era ser uma criança normal como qualquer outra, ocupada na obrigação de crescer e aprender, assim tudo que você fez e que me deixou tão nervoso, era absolutamente normal. De repente, eu me vi perdido num mundo só de adultos, cheio de obrigações e responsabilidades, sem sentimentos, sem fé em Deus, na vida e pior, gastando toda minha energia e atenção com os problemas do dia a dia, sem nunca me lembrar de você.

Hoje meu filho, sem saber, você se tornou meu professor, quando num ímpeto voce me abraçou e eu sei que naquele momento, você só queria mesmo era me beijar para desejar uma boa noite, deixando claro que eu sou importante para você, de qualquer jeito, com qualquer humor e agora que te vejo dormindo profundamente em uma paz tão absoluta, não vejo a hora do amanhã chegar novamente, para que possamos fazer um recomeço em nossa relação, enquanto ainda é tempo para nós dois, mas principalmente para mim.

Você me mostrou hoje, que você precisa mesmo é de um pai verdadeiramente presente, de corpo, de alma e de coração, um pai que lhe dê atenção, que demonstre e diga o quanto você é importante para mim e isto de uma maneira simples, exatamente como você fez quando me abraçou e beijou para me desejar boa noite. Prometo que de hoje em diante meu filho, vou lhe dar sorrisos calorosos com mais freqüência, vou te abraçar mais vezes e sempre que necessário, vou lhe dizer palavras de consolo ou de encorajamento, além vir ao seu quarto todas as noites, para ler lindas estórias para voce dormir, pois tenho certeza de que elas vão embalar seus sonhos, até o amanhecer.

Eu vou rir quando você rir, vou chorar quando você chorar e vamos fazer muita coisa juntos. Juro filho, que vou me lembrar de que você não é um adulto e sim uma criança. Mas mais do que tudo, eu vou curtir ser o seu pai como nunca o fiz. Seu espírito maravilhoso e cheio de luz, tocou o meu coração quando me beijou, com todo seu amor puro e sincero, sem ressentimentos, mesmo após eu ter ficado bravo com voce, sem ter nenhuma razão.

Vim até aqui agora filho, para te beijar e te admirar enquanto você dorme meu pequeno mestre e eu te agradeço meu pequeno grande professor, pela lição de vida que aprendi recebendo hoje de você, um abraço e um beijo de boa noite.

Agora que já te disse o que sinto, mesmo sabendo que não esta me ouvindo, mas sei que pode sentir o calor de minhas mãos segurando as suas, porque elas falam mais do que minha voz e em silêncio, eu faço neste momento, uma prece, um pedido especial dirigido ao Mundo, pois amanhã será seu primeiro dia de aula, voce irá para sua primeira escola e espero que ele me entenda e me atenda, de todo coração...

Querido Mundo,

Meu filho começa na escola hoje, é seu primeiro dia de aula, tudo vai parecer estranho e diferente na vida dele. Sei que tudo vai ser novo e desconhecido por uns tempos e eu gostaria de lhe pedir para tratar dele com carinho. Ele tem sido o chefe do quintal dos fundos de nossa casa, tem sido o principe regente no reino de nosso lar, mas eu não tenho sido seu sudito devoto e dedicado como deveria, tenho sido apenas seu médico particular, a quem ele procura para a cura de alguns males do corpo, mas quando se trata dos males do coração e da alma, tenho falhado em inumeras ocasiões, exatamente quando ele mais precisava de mim, mas sobre isto, daqui em diante eu prometo mudar, pelo bem dele, pelo bem de nós dois.

Agora Mundo, ele vai estar em suas mãos e com a ida dele para a escola pela primeira vez, tudo em sua vida vai mudar. Pela manhã ele vai sair pela porta da frente, dizendo até logo e começará sua grande aventura, que certamente irá envolver alegrias, vitórias, felicidades, mas tambem guerras, tragédias e tristezas. Para que ele possa viver plenamente a sua vida, ele deverá ter coragem, amor e principalmente, muita fé no coração.
Então Mundo, eu gostaria que você o pegasse pela mão e o ensinasse o que ele tiver que aprender, mas ensine a ele da forma mais gentil que você puder. Ensine a ele que para cada canalha neste mundo, sempre há um herói, que para cada político corrupto, há sempre um líder dedicado e de bom coração.

Não se esqueça de dizer a ele também meu querido Mundo, que para cada inimigo, sempre há um amigo. Ensine a ele sobre o poder mágico dos livros e da leitura. Por favor, dê a ele, tempo para ponderar sobre os mistérios da existencia dos pássaros nos céus, das abelhas nas colméias, das flores nos campos, do amor no coração.

Diga a ele Mundo, que é muito mais honroso errar e assumir um erro, do que fingir que não tem nada com o assunto, jogando a culpa em alguém inocente. Faça com que ele saiba, que é preciso lutar com convicção pelos nossos ideais, pelo que acreditamos, mesmo que alguém diga que estamos errados, que somos malucos pela maneira que defendemos nosso ponto de vista, mas deixe claro a ele Mundo, que ele deve sempre defender e discutir seu ponto de vista, mas jamais pode querer obrigar as outras pessoas a pensar como ele, porque nenhum de nós, é dono da razão.

Mostre a ele, que ele precisa vender seu cérebro , suas idéias, sua inteligência e sua força, pelo mais altos preços, mas que ele nunca deve por a venda o seu coração... Diga a ele Mundo, como é a sensação, de se colocar uma concha no ouvido e ouvir o som do mar!

Ensine tudo isto e ele Mundo, mas em momento algum, passe a mão em sua cabeça, porque é somente com um bom fogo, que se forja e dá forma ao metal.

Sei que meu pedido a você, é grande demais, sei também que minha lista de recomendações é imensa e que outros itens vão ser incluídos durante a caminhada dele pela vida enquanto eu viver, mas veja o que você pode fazer por ele Mundo, afinal de contas, ele tem sido sempre, um bom menino!


Autor: Jose Araujo

Fotografo: Jose Araujo (Estação da Luz – SP - Acervo particular 2006)

20 comentários:

Albertina A. disse...

Olá meu amigo!!!Verdadeiro...muito Verdadeiro...nossos filhos são nossos mestres sim,com eles aprendemos a amar sem cobranças...a ter paciência...cautela....transformamos nosso EU...no Eu deles...penetramos em almas maravilhosas...Parabéns...e agradeço a DEUS por eu ser mãe de tres meninas maravilhosas..Elas são minha razão de viver...me mostraram o qto eu sou importante na vd delas...É MARAVILHOSO SER MÃE...BJOSSSSS

estrellucy disse...

Bom meu amigo José!
Vc como sempre com mais um de seus textos que direta ou indiretamente vem para nos orientar sabia?
é verdade que...com o corre...corre do dia-dia esqueçemos um pouco nossas obrigacões como pai.
Sempre que chegamos em casa já cansados só queremoa um pouco de descanso, e esqueçemos que temos alguém que pecisa de nosso carinho e atenção. Sei que pelo menos pra mim esse seu texto caiu como uma luva...é o que aconteçe comigo, por ser pai e mãe e ter muitas responsabilidades, tanto no trabalho como em casa já vivo exausta. Eu procuro dar atenção mais sempre pra eles fica faltando algo. Brigada por mais uma orientação meu querido. Continui assim. Beijos em seu lindo coração...Da amiga de sempre...Estrellucy!!!

Bruno disse...

oi papi>>quando eu comecei a ler achava legal mas quando eu cheguei no meio da historia achei super interessanteeu achei o seu texto realmente fantastico beijos tchau

Alvaro Garcia disse...

Caro José, quem de nós não teve um momento onde se achou indesejado, inconveniente em determinados momentos na vida de nossos pais?
Mal sabiamos o quanto eles nos amavam e o porque deles estarem sempre nos corrigindo, tentando nos colocar no bom caminho e que isto era a maior demonstração de que se importavam com a gente.
Feliz das crianças que puderam ter pais participantes em suas vidas, pais que sabiam corrigir, mas sabiam retribuir o carinho e amor que dávamos a eles gratuitamente, porque os amavamos e muitas vezes a gente nem sabia disto, pois demonstrar que os amavamos era tão natural da maneira que agiamos.
Teu conto fala de um pai viuvo que trabalha e cuida de seu pequeno filho, mas que se esqueceu por um bom tempo que seu pequeno não precisava só de bens materiais, mas graças ao amor puro e verdadeiro de seu filho, ele acordou a tempo para não perder os melhores anos de sua vida.
Lindo, comovente, emocionante e absolutamente cativante!
Parabéns escritor de sentimentos!
Ninguem fala melhor disto do que voce meu amigo!
Abração e tenha uma ótima semana!

Gloria Meirelles disse...

José, José, quem mais neste mundo criaria um conto como este se não você?
Trabalhei muito a vida toda e Oswaldo tambem e sabemos muito bem as consequencias de nossa ausencia na vida de nossos filhos.
Não basta educar colocando-os nas melhores escolas, não basta dar a eles todos os bens materiais que desejarem, se não dermos a eles a atenção que precisam em seu desenvolvimento, vai sempre haver uma lacuna entre nós, a menos que a gente acorde a tempo como o pai de sua estória.
Saiba José, que muitas vezes envio seus contos a colegas professoras, para que elas levem seus textos para serem discutidos em sala de aula com seus alunos.
É muito importante que não só em casa através dos pais, mas tabem nas escolas se dê às crianças a atenção que elas precisam.
Sou aposentada, mas carrego em meu coração a alegria de ter sido considerada por muitos de meus alunos sua segunda mãe.
Parabens meu amigo anjo, por mais esta obra de arte e sensibilidade!
Sua amiga e fã sincera de sempre te deseja toda a felicidade e sucesso neste mundo!
Beijos querido!

Oswaldo Meirelles disse...

Caro Jose Araujo, é com grande alegria que leio mais um de seus contos onde não faltam lições de vida, de motivos para se refletir cobre nosso comportamento, não só para com as crianças, mas para com todos que estão à nossa volta.
Muitas vezes não damos a atenção devida aos nossos semelhantes e esta atenção não dada, poderia ter curado uma ferida de um coração ferido, pedindo para ser ouvido!
Belissimo, inteligente, atual em todas as gerações, só voce mesmo para nos proporcionar momentos tão especiais como ler seus contos!
Eu a Gloria amamos voce José e esperamos estar sempre presentes em todos os comentários de tudo que voce escrever, porque voce merece como ninguem a nossa atenção e nossa admiração por ser quem é!
Abração carinhoso de seu amigo sincero!

mdb disse...

É fácil abandonar um ser, logo que perde a mãe.
Na verdade o pai estava sofrendo em dobro, a perda da esposa e ter que cuidar de uma criança que mal conhecia, apesar de ser o pai.
A vida é uma escola onde ninguém tem pistolão e sim aprender na pancada.
O menino coitado, tinha que ser para o pai um adulto em miniatura.
Ele tinha de positivo o amor, e soube usar para conquistar o pai que tanto amava.
O amor derreteu aquele coração de gelo.
Quantas vezes a criança tem até medo de chegar perto do pai para esclarecer alguma dúvida, sabendo que não terá resposta e sim uma reprimenda, deixando de aprender com o pai por medo,(Sou vítima disso)
Ao ser desarmado com um abraço e eu te amo, o pai abriu os olhos do coração e começou a freqüentar a escola do amor onde uma criança era o mestre do próprio pai.
Jose muito lindo o texto e para mim foi recordar o passado bem recente, pois meu pai tornou-se pai e avô após a partida de minha mãe e quando ficou doente dependendo dos filhos e netos.
Pode crer amigo muita gente vai se encontrar neste texto, só faltando coragem para revelar.
Jose obrigada querido.você ée será meu escritor muito massa.Gostou da gíria?
Marilene Dias

Andrea disse...

Mueu amigo!Seu conto é simplesmente maravilhoso me arrepiei e me comovi com ele!
As vezes deixamos de perceber pequenas coisas simples e maravilhos como o amor de um filho (infelizmente ainda não sou mãe), outros gestos de carinho das pessos, pq estamos preocupados com outras coisas.
Aposto que este conto servirá de reflexão para muitas pessoas!Parabéns!

Beijos da amiga Dedeca

magelabazzi disse...

Querido amigo José:

Mais uma vez ;adorei , me arrepiei e emocionei com a veracidade do seu conto...na verdade todos nos pais, de uma forma ou outra em algunos momentos de nossas vidas, por motivos X, ficamos distantes de nosos filhos, a maioria das veces sem querer, mais nossos filhos são fieis a nos,
não entanto nos pais, ne sempre somos a eles na medida exata ...
Hoje , vc me presenteu de certa forma, com este conto,
meu filho caçula esta fazendo aniversario hoje , eu , como mae coruja, chorei sim, com seu conto..pq não saberia ser difernte, com esse menino, que hoje, se transformou em um homem...
Agradeço, a vc por transmitir, com suas palavras, aquilo q muitos de nos, ne sempre conseguimos, expressar.
não por falta de AMOR A ELES E SIM POR ACHAR Q NUNCA TEMOS TEMPO SUFICIENTE PARA EXPRESALO
cOMO GENTE GRANDE E INGENUA... rsr
Uma otima semana para vc, e mais uma vez PARABENS!!! fcd
Bijos em seu coração, Meu querido amigo.
Magela

ALAIR disse...

Oi meu amigo José, tudo bem?
Filhos,sinônimo de amor incondicional, felicidade completa, mas, preocupação eterna...
Muitos são os momentos em que sentimos que apesar de muito amor, não estamos sendo suficientemente presentes,ou até por prepotência, nos sentimos donos da verdade, sem sequer escuta-los; Este pai do conto, percebeu seu erro,diminuindo com sabedoria, a distância entre ele e o filho!

Anônimo disse...

Agora vc pegou pesado meu amigo, meu grande problema meu grande dilema é justamente este, o que fazer quando bate na mente que estou falhando com minha pequenina??? Filha única, pais separados, imagine o q deve passar pela cabecinha dela, tenho muita sorte apesar de tudo ela é maravilhosa, gosta de estudar, é super alegre e atenciosa, mas também se fecha um pouco em seu mundo de solidão e acho q muito disso vem do fato de ter pouca atenção, temos raros momentos de sossego e sempre é como disse, a maratona diária, a rotina de compromissos e mais compromissos acaba por não deixar q vejamos o q está além dos olhos carnais, tento suprir mas sei q falta muito, tenho q trabalhar isto é incontestável mas sei q posso interagir basta ter um pouco de paciência e muito amor como posso me negar a uma frase dessas " Mãe vamos brincar agora q chegou" ou "Vamos ler este livro", "Mãe tem um filme muito legal p/ gente assistir"... Olha tem dia q só penso em ir p/ casa e dormir mas quando chego e vejo aquele anjo a minha espera faço aquela prece e tento ser um pouco do q ela espera de mim, não sei como estou me saindo como mãe só sei q estou realmente tentando.

Beijos meu querido contador de estórias.

Sua eterna fã. Rose Cruz

Douglas disse...

Oi meu querido amigo, como sempre seus contos são maravilhosos, hoje lendo seu conto... fiquei ainda mais emocionado de que outras vezes, talvez por eu ter assumido um papel de Pai ao meu irmãozinho, (hoje com 19 anos)no qual ele mesmo me disse em um dia que eu não estava muito bem, ele me ligou e disse o quanto me amava e agracendo por eu ser não só um irmão, mas sim um amigo e um Pai. Apartir dai meus sentimento de amor por ela só aumentou, e comei a lher mais atenção, e posso dizer que ele é meu pequeno mestre do amor...
Você também é um mestre meu AMIGO, um grande mestre,uma dádiva de Deus. Grande beijo nesse coração precioso!!!

Nadja disse...

Maninho que lição de vida, quanta verdade vc coloca em seu texto. Tenho certeza que sempre fui uma mãe atenciosa e presente, mas será que fui o suficiente? Hj filhos adultos, um já casado fico me perguntando se sempre atendi as solicitações e necessidades deles, uma vez que, me separei quando eles ainda eram pequenos e fui pai e mãe. Levava pro Maracanã, beach soccer, coisas que normalmente o pai faz, mas não recusei nunca e lá ia eu, eles e mais uma galera de amiguinhos.
Ler vc é um prazer enorme, faz bem a alma e abre nossos olhos para coisas que às vezes nem percebemos.
Mais uma vez parabéns pela riqueza de detalhes, vc narra de uma forma que parece um video legendado, vc traz as imagens junto com suas palavras.
Bjkas querido vc é o meu amigo nota 1000, viu? Amo vc

Jorge A. Saraiva disse...

Na verdade, é dificil alguem dizer que não se emociona com seus textos, mas teste meu amigo, pe pegou de calças curtas, ou melhor, com as calças na mão! rs Quando me separei de minha 1º esposa, fiquei quase 3 anos sem ver meu filho, porque fui para Manaus a trabalho e quando voltei meu filho já estava com 8 anos e foi muito dificil a nossa reaproximação. Procurei ficar com ele o maior tempo possivel, mas este tempo era só nos finais de semana e como sempre, eu estava cansado, arrasado mesmo de tanto dar duro para me manter, pagar a pensão, o aluguel do apartamento onde morava.
Muitas vezes ele me procurava quando estava comigo, para falar de um trabalho escolar que havia feito, para tirar uma duvida qualquer e quantas vezes eu falhei pedindo para ele me deixar descansar!
O tempo passou, hoje ele tem 18, somos amigos, nos amamos, mas ficou um "buraco" entre nós e quando ele de alguma forma me lembra sobre isto, é ai que eu sinto a sua dor em meu peito, exatamente como ele devia sentir na época e por ai vai...
Voce é indiscutivelmente verdadeiro Jose Araujo!
O mundo precisa de gente como voce, para fazer com que pessoas como eu, abram os olhos e o coração enquanto é tempo!
Não são só os filhos que sofrem com nossa falta de atenção, são todos aqueles que nos amam gratuitamente, sem pedir nada, a não ser um pouco de atenção!
Beijão cara!
Voce é demais!

Eduardo Santos disse...

Este é meu amigo José! Cara, não consigo encontrar palavras para te dizer o quanto este conto tocou fundo em meu coração! Tive a infelicidade de não ter um pai presente de alma e coração, ele sempre esteve fisicamente perto de mim, mas muito sempre foi uma pessoa fechada, nunca me disse na vida que me amava, parecia que eu tinha sido culpado de alguma coisa que o prejudicou muito na vida. Sempre senti vontade de abraçar meu pai, dede pequeno, mas as poucas vezes que tentei ele me empurrou com as mãos, dizendo que não tinha tempo para melação. Hoje ele já se foi, mas ficou em meu peito a mágoa de ter sido repudiado pelo homem que no fundo do meu coração eu amava, mas que nunca me permitiu dizer isto a ele.
Sabe meu amigo, ainda bem que pessoas como voce, que alias são raras, nos mostram através da arte que a nossa vida não é uma peça para ser encenada, ela é uma existencia a ser vivida. Só espero que nas procimas gerações, a mentalidade do ser humano mude e haja mais amor no coração de cada um.
Chorei, relembrei de fatos tristes, mas foi como seu tivesse desabafado, como se tivesse retirado com as mãos, um peso enorme que havia em meu peito, em meu coração!
Obrigado José e quero que saiba que por isto e muitas outras coisas que eu amo muito voce meu amigo!
Que mais posso dizer a não ser tenho dito! rsrs
Beijão!

Ne disse...

Muito lindo Jo...nossos filhos são nossos verdadeiros tesouros. por isso devemos mesmo ter todo cuidado para que esses tesouros não se percam em vão...bjus!!!. Adorei...rsrs

vera pariz disse...

MEU AMIGO,CHOREI SIM PORQUE JA VIVI ISSO E TBÉM JÁ FIZ ISSO COM MEUS FILHOS QDO ACHAVA QUE ESTAVA FAZENDO ALGO QUE EXIGIA MAIS IMPORTÂNCIA DO QUE DAR ATENÇÃO Á ELES.E QDO DORMIAM,LÁ ESTAVA EU NA BEIRA DA CAMA PEDINDO PERDÃO PELA ATENÇÃO QUE NÃO TINHA DADO.E NO OUTRO DIA TENTNADO COBRIR ESTA FALHA.MAS MUITAS VEZES AGIA DESTA FORMA.SÓ REFLETIA NO SILÊNCIO DA NOITE.SIM MEU AMIGO,APRENDEMOS COM ELES.HOJE QDO JÁ SÃO ADULTOS,PARECE QUE SE INVERTE A SITUAÇÃO.BJUS NO SEU CORAÇÃO...AMIGO QUERIDO E PERFEITO.DEUS TE ABENÇOA SEMPRE...

Walter disse...

meu grande amigo,muito legal,legal mesmo essa crônica,olha José,vc já deve estar cansado de ouvir,más repito,suas cronicas mexem muito conosco,apesar de não ter filhos,más me coloco no lugar do pai,parabens meu querido amigo.Vc como sempre,nos emociona com suas lindas palavras,que vc continue com dom lindo que Deus te deu.Abração,amigo,muito sucesso a vc,bjs no coração.

Diana disse...

Sabe, José, vc é um mestre em fazer-nos refletir sobre diversas áreas de nossa vida e esta foi de maneira especial, pq filho é filho e é p sempre e merece toda nossa atenção... muito verdadeiro seu texto! Parabéns!!! me deixou muito emocionada. Um Abraço c meu carinho de sempre.

Diana disse...

Sabe, José, qdo se trata de filhos,não tem jeito... me emociono mesmo! Parabéns, muito verdadeiro seu texto... muito mesmo! Um abraço c meu carinho de sempre!