Páginas

domingo, 20 de julho de 2008

A LAMPADA E A LUZ...



E lá estava ela, a lâmpada fluorescente compacta, com seu design moderno e arrojado, acomodada confortavelmente em seu trono numa gôndola de uma grande loja de materiais para construção. Ela tinha consciência de que era famosa, de que tinha vindo de berço esplêndido, afinal, seu fabricante, era uma multinacional conhecida no mundo inteiro. 

Por este motivo, ela era convencida, olhava para as outras concorrentes com desdém, ela se achava melhor do que todas as lâmpadas do mundo e tinha pavor, só de pensar, em viver no meio da pobreza, pois seu lugar era nos ambientes requintados, não em qualquer lugar. Ela era admirada e elogiada por suas características. Seu design futurista encantava a todos e sua incrível capacidade de duração, era decisiva na hora da compra, sem falar é claro, que ela, ao contrario das antigas e ultrapassadas lâmpadas incandescentes, propiciava a luz do dia nos ambientes internos, mais um motivo para que ela se sentisse a melhor lâmpada exposta naquele corredor. Desde que nasceu e veio parar na loja, que ficava num shopping famoso de São Paulo, ela sonhava em ser comprada por alguém de muito bom gosto, que a colocasse em lugar de destaque, porque ela nasceu para brilhar e não seria justo para uma lâmpada como ela, ser comprada sem critério e ser colocada, como ela dizia, num pardieiro qualquer.

Certo dia, ela foi comprada, exatamente como acontece a qualquer produto numa loja, uma cliente entrou preocupada no corredor onde ela estava exposta e no meio de tantas concorrentes, ela foi escolhida com louvor. E ela se foi, feliz e orgulhosa por ter sido comprada por uma pessoa fina e elegante e tinha certeza, de que seu destino era ficar em lugar de destaque na residência dela, num Condomínio de luxo, que a lâmpada pode ler na nota fiscal, ficava no bairro do Morumbi. Todas as outras lâmpadas, ficaram lá na loja, tristes e esperando a sua vez, e imaginando, qual seria o destino que estava reservado para elas e assim, dias, semanas, meses se passaram, e uma a uma, foram sendo compradas afinal, porque o fabricante da lâmpada fluorescente compacta, mais vendida no mundo, havia falido e então, todas as outras marcas, tiveram sua chance de mostrar seus produtos, que também eram de qualidade e ganhar, não só a confiança do consumidor, mas também um bom conceito no mercado da iluminação. Lá, no condomínio de alto luxo, aquela lâmpada orgulhosa e convencida, tinha estado desde que chegou , no lugar de mais status da residência. Ela tinha sido instalada em um Spot, dando vida e charme a um quadro de um pintor famoso, pendurado num canto, à meia luz. Ela nunca pensou em sua vida que seria tão feliz. Era impressionante como sua luz, destacava com magia os detalhes daquela obra de arte e ela era elogiada por todos que visitavam a casa, por que sem ela, aquela obra de arte, não seria nada, sem a devida luz. Lâmpada mais feliz que ela não poderia haver, pois ela era a lâmpada mais importante daquela casa. Ela participava de tudo das grandes festas, das grandes comemorações e assim, seu sonho, era terminar seus dias, no mesmo lugar.

A dona da casa, uma empresária altamente ativa e participante em todas as áreas de sua empresa, soube numa reunião que a multinacional, a fabricante da lâmpada fluorescente compacta, que iluminava seu quadro tão valioso, havia falido, e pensando longe, ela resolveu que iria trocar aquela lâmpada, porque afinal, sendo ela um modelo especial, com um design arrojado e diferente, logo não poderia ser reposta por outra igual. Para o desespero da lâmpada, num certo dia, sem mesmo ser avisada de tal, (um absurdo, pelo fato dela ser uma lâmpada tão especial), veio a governanta com a faxineira e a removeram do Spot e nele, foi colocada uma outra lâmpada, de outro fabricante, do qual ela nem mesmo havia ouvido falar. Ela não sabia, mas seu destino era a luminária da cozinha, e lá ela se foi, nas mãos de uma faxineira (outro absurdo, ela pensava), rumo ao lugar onde ficavam os pobres, ela iria ficar entre cozinheiras, faxineiras, copeiras e isto para ela, era o fim! Quando chegaram à cozinha, havia um menino num canto, ele estava esperando a governanta, pois de vez em quando, sempre que podia, ela doava algumas coisas e alimentos para ele levar para casa, porque por um destes gritantes contrastes sociais, no bairro chique do Morumbi, enquanto de um lado da rua havia uma rede de condomínios de alto luxo, do outro lado, havia uma favela e era nela, que ele morava. O pequeno garoto pedia esmolas porque em sua casa eram ele, sua mãe e mais duas irmãs menores, pois seu pai sem coração, os havia abandonando, à mercê do destino, para viver com outra pessoa. Sua mãe, uma pobre mulher com pressão alta, além de outras complicações de saúde, não podia trabalhar fora para manter a ela e seus filhos e então, só conseguia algum dinheiro, costurando para fora, mas era pouco, só dava para comer de vez em quando, mas comer todos os dias, nem pensar.

A governanta, uma pessoa justa, de origem humilde e de bom coração, desde a primeira vez que conversou com o garotinho e conheceu sua casa e sua família, sempre os ajudou como pode, mas também não era muito, porque sem ordens da patroa, ela não poderia fazer muito mais. Tem certas coisas que não tem explicação e a lâmpada que se achava tão especial, que achava um absurdo, estar sendo levada para a cozinha, foi dada pela governanta ao garoto num gesto de bondade e colocada numa sacola cheia de batatas, para que ele levasse para sua casa e ela pudesse ser colocada no bico vazio de luz de seu pobre lar. A governanta soube pelo garoto, que sua mãe agora só estava podendo costurar, enquanto havia a luz do sol, porque quando a noite chegava, todos tinham que ir dormir, pois a única lâmpada que eles tinham, era uma velha lâmpada incandescente que depois de muito tempo, veio a queimar e eles não tinham dinheiro nem para comer, quanto mais para comprar outra. O menino ficou contente, agradeceu à governanta com um beijo e um abraço e com um sorriso humilde em seu rosto, dizendo que aquela noite, ele e suas irmãs poderiam ficar acordados até mais tarde para brincar. A filha da dona da casa que estava por perto ouviu o que ele disse e falou com um sorriso lindo e mágico em seu rosto, que mostrava toda a sua felicidade, que naquela noite, ela também poderia finalmente ficar acordada até mais tarde, para participar de uma festa de aniversário e poderia usar seu tão sonhado vestido novo, todo branco, leve como uma nuvem, usando um laço vermelho em seus cabelos.

A lâmpada ouvindo tudo, mesmo magoada e ferida por seu destino imposto por aquelas pessoas, pode ver que não havia no mundo, sorriso mais lindo do que o daquela garotinha e que em seus olhos, havia uma estranha luz e aquela imagem, a do sorriso e do olhar da menina, ficou gravada em sua mente enquanto ela seguia na sacola, pelas mãos do garotinho, para sua casa na favela. Aquele dia, havia sido o pior da existência daquela lâmpada, que se achava tão especial. Nele, ela foi destituída de seu mais alto posto naquela casa, foi condenada e viver entre os subalternos na cozinha e finalmente, o golpe final, sua condenação anterior foi revogada e ela foi sentenciada a viver o resto de sua existência, numa favela, no meio da camada mais baixa da sociedade e o mundo daquela lâmpada, fluorescente e compacta, desabou de uma só vez. Quando o garoto chegou em casa e mostrou a sua mãe a lâmpada e a sacola cheia de batatas, ela chorou de alegria, dizendo que o coração daquela governanta não poderia ser maior, ela agradeceu a Deus pelo milagre e disse que naquela noite, ela poderia costurar até mais tarde e ganhar mais algum dinheiro, porque finalmente haveria luz. Quando chegou a noite, com a lâmpada iluminando a escuridão na vida daquela família, o garotinho sua irmã do meio estavam sentados num caixote que usavam como banco, enquanto esperavam sua mãe preparar algo para comer, quando sua irmã mais nova chegou por trás, se enfiou no meio deles, passando os braços no pescoço dos dois dizendo com um sorriso lindo e mágico no rosto, que eles não iriam acreditar, mas naquela noite, eles iriam ter batatas assadas para o jantar. Então, todos se abraçaram e sorriram juntos e nos olhos deles, havia uma estranha luz.

Na hora do jantar, foi uma festa, todos comeram suas batatas assadas que estavam deliciosas, na verdade, de lamber os beiços, pois haviam sido preparadas com o melhor recheio do mundo, o amor de uma mãe. Após o jantar, repleto de alegria e felicidade da mãe e das crianças pela benção recebida, a cada criança, foi dada a metade de uma laranja, porque não havia o suficiente para mais. Do outro lado da rua, era possível ouvir a musica tocando e a lâmpada ficava imaginando que aquela que a substituiu, deveria estar sendo o maior sucesso, no meio daquela gente linda e bem vestida e aquilo, fazia um mal imenso ao seu coração. Ela que observava tudo em silencio naquele barraco, pobre e mau cheiroso, mas mesmo com sua tristeza profunda, inconformada pelo seu destino que ela considerava injusto, não pode deixar de se perguntar, como era possível que nos rostos e no olhar daquelas crianças, pobres e maltrapilhas, houvesse aquela mesma luz estranha, a mesma felicidade e alegria que havia no rosto daquela menina rica, que tinha tudo que queria na vida. A resposta viria mais tarde, quando todos foram dormir. Naquela casa, onde ela tinha um lugar de destaque, iluminando o quadro do famoso pintor, de seu Spot num canto da sala, ela nunca teve a oportunidade de ver mais nada além de sua própria luz. As crianças já haviam ido dormir em suas esteiras espalhadas pelo chão, a mãe delas já estava cansada e resolveu ir dormir também. Ela levantou-se com dificuldade, pois sua dor na coluna a maltratava, fazendo até com que seus passos fossem dolorosos e dirigiu-se para onde estava estendida sua esteira e no caminho, ela apagou a luz.


Foi então, que aquela lâmpada, foi deixada a sós, pendurada em um fio elétrico, comprido e improvisado, para que ela pudesse ser apagada manualmente, já que não havia nem mesmo um interruptor naquele barraco. Na escuridão, olhando pela janela aberta, finalmente ela descobriu a verdadeira luz. A janela não havia sido fechada quando todos foram dormir e por ela, era possível ver os fogos de artifício e ouvir a musica ainda tocando no condomínio de luxo, do outro lado da rua. Mas olhando para cima, em direção ao firmamento, naquela noite de céu limpo e radiante, lá estavam elas, a Lua e as estrelas, a lâmpada percebeu, que elas brilhavam para todos sem distinção, tanto lá, sobre o teto dos ricos, quanto cá, sobre o teto dos pobres, e era o mesmo brilho que a ela viu estampado no rosto , no sorriso e no olhar da menina rica e das crianças pobres, que tanto a impressionou. Foi então, que ela compreendeu, observando encantada aquela magia, que a verdadeira luz, é a luz divina, aquela que brilha para todos, sem restrição. Ela entendeu, diante daquilo tudo, que ela mesma, não passava de um objeto, uma simples lâmpada, feita de matéria e como toda matéria, era perecível e apesar de ter brilhado para todos, iluminando a escuridão na vida dos homens, ela não era nada, comparado àquele espetáculo eterno de luz. 

A lâmpada fluorescente e compacta, com seu design arrojado e futurista, que desde o inicio de sua existência, se achou melhor do que todas as outras, digna apenas daqueles abastados e de ocupar lugares de destaque no espetáculo da vida, na verdade, sempre viveu até aquele momento, na mais completa escuridão.

Autor: José Araújo









49 comentários:

deborah-biblia disse...

oi amigo, parabens pela imaginçao
de transformar uma lampada num conto.Realmente é a luz interior que brilha mais do qu qualquer lampada, beijos

mdb disse...

Gostei muito do texto Jose.
Indo mais a fundo podemos tirar muitas lições dele.
A vida é como o pião na mão de um menino, que sabe lidar bem com ele.Quando põe para rodar e dar tudo certo, ele roda ereto num só lugar, eu comparo com a lâmpada , onde foi morar, pois nasceu num berço esplêndido e lógico iria para o lugar adequado e feliz.
Na segunda rodada do pião que representa a vida do ser humano, o menino já não jogou-o tão bem e ele, o pião, foi cambaleando mas devagar até parar, representava já a lâmpada na cozinha, que não era tão pobre assim, mas seu orgulho foi ferido e muito, não dava para conformar com a situação, mas pelo menos viu o sorriso da filha da patroa e sentiu nos olhos da menina, uma luz diferente.
Agora o pião da vida vai ser lançado novamente e cai ao chão muito mal e roda muito pouco e para. Aí representa a maioria da pobreza nossa.
Onde o comer é quase o que dá para fazer, em uma família, mesmo assim muito mal.
Foi ali naquela pobreza que a lâmpada fluorescente foi parar. Que revolta!
Como poderia parar num lugar daquele? Mas quando chegou a solidão da noite e ela foi apagada, aí começou a enxergar o que nunca tinha reparado; a luz. Que vem do céu onde todos têm direito a ela, sem distinção de classe social.
O rico olha, o pobre olha e ninguém é discriminado, porque aquela luz vem do Alto é o presente de Deus para todos os humanos.E com aquilo a Lâmpada fluorescente viu o valor da luz e não dela própria.
Isso serve para nós, pois não devemos guardar em nosso coração o tal orgulho que tanto mal nos faz. Pois um dia podemos estar lá em cima e no outro despencar e ter que recomeçar, e o orgulho onde foi parar?
Desculpe Jose acho que abusei, mas adorei.
Beijos meu amado amigo escritor.
Marilene Dias.

Ricardo Novaes SJC disse...

Impossivel deixar de se emocionar ao ler este conto meu amigo José!
Deus!
Como você encontra inspiração até em objetos para de uma forma sutíl, através de analogias e parábolas nos mostrar do que nós seres humanos somos capazes!
Você, além de escritor é um artista completo, pois sua sensibilidade e talentos parecem não ter limites!
Parabéns por este conto mágico e sublime meu autor favorito!
Beijos!

Eduardo Santos disse...

Cara! A cada conto teu, meus cabelos de arrepiam com a força d emoção que toma conta de mim!
Que loucura!
Você faz milagres ao encontrar inspiração para escrever!
Quem diria?
Uma lampada!!
Genial, fenomenal e mais que tudo, muito, mas muito especial!

Beijão garoto! Amo você e tenho dito!

Nara Maria disse...

Amigo escritor! A cada conto seu, sinto-me emocionada, pois vc consegue, com sua sensibilidade de artista, tocar nos recoônditos mais profundos de nossa alma, dando-nos uma lição de amor ao próximo. Agora falando como professora de Língua Portuguesa: tenho percebido que vc a cada conto, tem aprimorado sua maneira de expressar suas idéias e isso comprova a tese que uso com meus alunos de que só se aprende escrever, escrevendo.
Parabéns, meu escritor preferido e amigo especial! Que Deus continue lhe dando muita luz para que vc sempre consiga nos inebriar com seus escritos.
Beijos fraternos.
Nara.

Alvaro Garcia disse...

Esta lâmpada, como muitos de nós, só enxergava a sí mesma, à sua suposta luz superior, mas no fundo ela tinha algo de bom dentro dela, pois ela conseguiu perceber a "luz estranha" nos olhos daquelas crianças, de tão diferentes mundos e sofrendo ela aprendeu a ver com os olhos da alma e foi só assim que ela conseguiu ver a verdadeira Luz!
Mais uma vez você se supera e noa brinda com mais este tesouro de valor incálculável que recebeu o título de " A lãmpada e a luz...".
Mais uma vez me curvo diante de teu poder incrivel de tirar inspiração de onde nem imaginamos, para criar um conto, com tantas reflexões contidas num único texto!

Parabéns meu amigo e escritor favorito!

Mal posso esperar pela semana que vem!

Abração!

Gloria Meirelles disse...

José meu querido, emocionar seus leitores é sem dúvida nenhuma a sua característica mais marcante!
Lendo seu conto, compreendendo sua mensagem, meu olhos se encheram de lágrimas no desenrolar da estória e no finala, quando a lâmpada conseguiu enxergar a verdadeira luz, não me contive e cherei em prantos de emoção!
Lindo, lindo,lindo!

Sem dúvida este é mais um conto que eu e o Oswaldo vamos fazer questão de ler aos nosso netinhos, pois é na fase de idade em que eles se encontram, é que temos que fazer de tudo para que quando crescerem, possam também exergar a verdadeira luz, sem sofrer as consequencias de uma cegueira que pode faze-los sofrer, tal e qual a sua lâmpada!

Parabéns querido!

Não é a toa que amamos você!

Beijos carinhosos de sua fã e amiga sincera, Gloria Meirelles

Oswaldo Meirelles disse...

Ah! Meu caro José! Nem sei como lhe dizer o quanto nós o admiramos, por tudo, pelo seu caráter, pela sua simplicidade e carisma, pelo seu coração puro que consegue nos trazer presentes lindos todas as semanas!
A verdadeira luz hoje anda tão apagada nas mentes e nos corações das pessoas, mas graças a Deus, existem ainda no mundo pessoas como você, que fazem de sua arte, um instrumento divino para noa alertar sobre o poder divino!
Perfeito José!

Você é digno de louvores por tudo que faz no sentido de procurar fazer o bem, sem enxergar a quem!

Abração meu amigo e tenha uma boa tarde!

Seu amigo e fã, Oswaldo Meirelles

Edson Santos disse...

Ler todas as semanas os seus contos, é como uma terapia espiritual!
Quanta coisa linda você já escreveu!

Cada conto seu, só vem confirmar que você só pode ser um anjo disfarçado de gente, vivendo aqui na Terra para nos ajudar a enxergar a verdadeira Luz!

Belissimo, eu até me atrevo a dizer, único, este é você!

Abçs!

Flavio Militello disse...

Quem tem a chance de ler o que você escreve, certamente terá uma caminhada muito mais agradável pela jornada da vida, isto é claro, se ao ler as jóias que você escreve, tiver sensibilidade suficiente para compreender suas mensagens meu amigo!
Digo e repito, você é demais!

A lâmpada e a luz, é uma preciosidade, onde a analogia e as parábolas se misturam com magia e isto é o que você sabe fazer!

Congratulações pelo excelente trabalho meu amigo!

Teu fã e amigo, Flávio Militello

Helena Cavalcante disse...

Amigo do meu coração!
Mais uma vez você me emiciona com um texto seu!
Que coisa é esta que você que consegue se inspirar até nas coisas menos prováveis para nos alertar e para que possamos refletir sobre nós mesmos e tudo à nossa volta!

Lindo!

Beijos querido!

Mimaris Miranda Guedes disse...

Oi!Amigão querido,parabéns alguém tão especial qto vc merece tudo isso e muito mais. Sua maneira de ser escrever suas atitudes são suas marcas registradas. Por isso que peço que DEUS continue te iluminando cada vez mais e que vc consiga nos emocionar mais com seus contos como este da lâmpada e muitos outros.BJS de sua amiga do fundo do coração, Mimaris M.Guedes

mimaris2008@yahoo.com.br disse...

Oi!Amigão querido,parabéns alguém tão especial qto vc merece tudo isso e muito mais. Sua maneira de ser escrever suas atitudes são suas marcas registradas. Por isso que peço que DEUS continue te iluminando cada vez mais e que vc consiga nos emocionar mais com seus contos como este da lâmpada e muitos outros.BJS de sua amiga do fundo do coração, mimaris2008@yahoo.com.br

Amadeu Zeitune Filho disse...

Como já disse antes, você tem uma maneira só sua de enxergar o que há por trás dos sonhos e da realidade. Um estilo único na época atual, tendo em vista que somente os escritores do passado nos transmitiam a magia que você tão fácilmente nos transmite em seus textos.
Conserve em seu coração esta pureza tão rara em tempos de violência, de guerra, de mal entendidos que levam a desavenças entre as nações.
Esta luz a que você se refere só se encontra mesmo nos olhos das crianças, mas o desenvolvimento delas tem sido como a passagem de um foguete em sua tragetória e se não tomarmos os devodos cuidados, nunca iremos enxergar esta luz estranha a que você se refere em seu texto, nos olhos delas.
Um reflexão maravilhosa, criada por uma mente previlegiada em nome da fé.
Parabéns, com meus votos de sucesso, hoje e sempre!

Paulinha disse...

Meu lindo amigo! Que sonho de conto você criou! É incrivel a sua capacidade de criar meu querido! A lâmpada e a luz é sem duvida nenhuma mais uma prova de que dentro de você só existe a referida luz!

Beijocas com carinho!

Sua amiga e fã que te ama,

Paulinha

Wilson Barbosa disse...

Você chega devagarinho, bem de mansinho, conquista nosso carinho e atenção e quando a gente acha que jé te conhece muito bem, lá vem você com mais alguma coisa para nos deixar de boca aberta com seu talento e sensibilidade!
Este conto, onde a personagem pricipal é uma lãmpada, não poderia ter sido criado por mais ninguem além de você meu amigo!
Tens algo de muito especial dentro de sí, uma daquelas coisas que a gente sabe que existe mas nunca viu, algo entre o céu e a terra, que só poderia existir em você!

Que mais posso dizer deste conto e do autor, senão que é mais uma obra divina!

Obrigado por compartilhar conosco este universo de paz!

Abração José e que Deus te preserve assim pelo nosso bem!

Lucio Petruchini disse...

Um autor e escritor de nivel como você não é fácil de se encontrar no mercado literário.
Você tem um quê que faz com que nós leitores, tenhamos vontade de ler teus contos sem parar até chegar ao final, porque sabemos que algo maravilhoso nos espera, um desfecho especial, sempre acompanhado de coisas que nos levam a refletir, sobre nós, sobre a vida, sobre tudo que nos rodeia, mas principalmente, sobre a fé!

Roberto Tavares de Castro disse...

Ler o que você escreve, é como se estivessemos fazendo uma seção de terapia da paz!
Você deve ter uma aura de luz, tão iluminada quanto sua mente incrível caro José!
Escreva sempre nesta mesma linha, não mude seu jeito de ser e de escrever, porque caso não saiba, muitos que leram e leem seus contos, dependem deles e de tua luz para se sentirem mais leves neste mundo de neuras, de stress, de opressão.
Você é José, o balsamo que precisavamos em forma de escritor, que escreve contos que nos trazem sempre uma palavra de fé, de esperança e nos faz acreditar que vale a pena viver.
Da minha parte, meu muito obrigado meu amigo!

Beijão cara e fica bem!

Leticia Nobrega SP disse...

Não sei falar muito bem, não sou boa em escrever, mas por pouco que seja, amei conhecer você e ler tudo que escreve!

Beijos!

Leila Silva Sampaio disse...

È facil amar você José!
A cada conto, me emociono mais e mais com sua grandeza de alma e de coração!
O brilho nos olhos da menina rica e nos olhos das crianças pobres, só poderia mesmo ser a luz divina!
Lindo demais!
Adorei meu querido!
Adoro você!

Luis Enrique disse...

É uma alegoría bela. Nossa, vc escreve muito bem, muito lindamente e com muita imaginação.

Fada Morgana disse...

Talvez você não saiba, mas há em você uma espiritualidade intensa, uma luz que emana de seu coração, que nos envolve, que nos seduz.
Tudo o que você escreve, tem sempre uma alusão à Fé, à Luz e tenho certeza de que não é mera concidencia, pois teu espirito é evoluido, está próximo ao mais alto dos planos superiores.
Que a Luz esteja convosco meu amigo, para que você possa continuar a escrever tão maravilhosamente, mensagens de reflexão sobre o amor, a fé e a vedadeira Luz!
Uma amiga que te conheceu hoje, mas que já te admira e respeita pelo teu conteúdo, pelo ser humano ímpar que você é!

Ana Maria Alencar disse...

Você mexe com a imaginação da gente, faz com que a gente te imagine em nossos sonhos, lendo em voz alta teus contos para agente ouvir.
É como se de alguma forma, você esteivesse sempre prensente na vida da gente, nos lembrando com seus textos, que entre nós e o céu, existem muito mais coisas do que imaginamos.
Não é preciso ser uma pessoas com um grau muito elevado de estudos para te compreender, tudo que é preciso e abrir o coração e deixar você entrar e então, a luz que tanto procuramos em nossa vida, parace surgir do nada e nosso caminho se torna claro, nítido, para que possamos seguir caminho sem receio, em companhia da fé de que tanto você fala em seus textos e que nos preenche a alma e o coração!
Que a virgem Maria e o menino Jesus te protejam e que você possa a cada dia, nos trazer mais paz e mais confiança na beleza da vida.
Um beijo com carinho, tua amiga que te quer muito bem,

Ana Maria

Paulo Daskal disse...

Acredito que não haja aquele que gostaria de estar ao teu lado, poder ser abraçado e sentir o calor de teus braços, falando sobre amor, sobre fé, sobre a esperança de um mundo melhor para todos, sem distinção.
Em tudo que você escreve, há uma magia, um encanto, algo dificil de se explicar, mas que nos envolve de tal maneira, que ficar sem ler seus textos, chega a ser doloroso.
Como você disse num trecho deste conto " há certas coisas que não tem explicação na vida da gente" e você José é uma delas, é dificil crer na sua existencia, mas você é real e eu, dentre tantas e tantas pessoas que te amam, posso afirmar que o é, desde aquele dia em que te encontrei ao acaso no Shopping Boulevard.
Amo você meu velho garoto!
Deste teu amigo, teu irmão, que te adora como ninguém, Paulo Roberto Daskal

Tia Lourdes disse...

Zézinho meu sobrinho querido, estou tão feliz com seu sucesso como escritor que fico imaginando o que sua mãe iria sentir se estivesse viva entre nós.
Quero que você saiba meu eterno menino, que sua tia te ama muito e que sempre soube que um dia você seria reconhecido por seu carater, pela sua bondade, pelo seu talento como escritor.
Lembra quando eu te dava umas folhas de papel de pão e um lápis para escrever?
Você só tinha 5 anos, mas já desenhava anjos como ninguem!
Você, sem desmerecer meus outros sobrinhos, é aquele que me dá mais alegrias na vida e mesmo longe, aqui no Mato Grosso, no fim do mundo para você, penso sempre em seu bem estar e peço a Deus para te proteger.
Um beijo e um cafuné como antigamente, da sua velha tia e madrinha que te adora!

Tio Olavo disse...

É Zézinho!
Eu sempre disse que um dia você ia brilhar!
A Lourdes e eu, sempre achamos que você tinha algo de diferente dentre todos os nossos sobrinhos, mas você cresceu e se tornou mais do que especial.
Você carrega cosigo toda a sensibilidade de sua mãe e desenvolveu um caráter único, integro, honesto e decidido quando o assunto é a fé!
Seja sempre assim meu sobrinho!
Deus esta e sempre estará com você!

De seu velho tio( Matusalém) rsrs

Rosely Marcelino disse...

Que lindo! Não tenho palavras para descrever minha emoção!
Adorei de paixão!

Dorival Cerqueira Vaz disse...

Adoro a maneira como você se expressa em relação à sua fé em Deus acima de tudo e de uma meneira que não faz alusão a nenhuma religião, posto que tenho certeza de que em sua mente, religiões não devem ser impostas, cada um escolhe ou não a sua,é uma escolha que pode ser feita ou não. Por mim, acredito em Deus tambem acima de tudo e sei que é dele que vem a verdadeira luz e de muitas maneiras diferentes, ela pode vir até mesmo de dentro de nós como é o seu caso meu amigo!
Perfeita sua colocação através de um conto muito bem elaborado e que nos toca fundo ao coração!

Abração!

Dulcineia Bassi disse...

Como seria bom se a maioria das pessoas acreditassem em Deus da forma como você o faz!
Ele existe e está em todo lugar, mas a sua Luz, só pode ser vista por aqueles que de alguma forma, abrem sua mente, sua alma e seu coração para recebe-la independente de religião, como o colega Dorival mencionou.
É um prazer inenarrável ler o que você escreve, porque você o faz exatamente como a Luz que sua lampada finalmente conheceu, você escreve para todos, sem distinção!
Parabéns pela sua essência e nunca deixe que nada, nem ninguem tire de você esta pureza de sentimentos que brota de seu lindo coração!

Beijos com amor de amiga, com todo o carinho que você merece!

Maria de Fatima Lisboa disse...

Sabe de uma coisa José?
A vida inteira eu acrediteu que não pudessem existir neste mundo alguem como você, um sonhador, um romantico, uma pessoa que tem acima de tudo uma fé imensa na existencia de Deus e que todos nós somos fruto de sua onipotência.
Fico muito feliz quando me convida a ler seus novos contos, porque sei meu amigo querido, que neles sempre vou encontrar uma mensagem de paz, de reflexão que nos leva a repensar muitas de nossas atitudes para conosco e para com o próximo.
Que a estrela guia te mostre sempre por onde você deve nos mostrar o brilho da verdadeira luz!
Amo você querido!
Beijos no seu coração!

Gino Biachi disse...

Você é unico em seu estilo grande José e o admiro muito por isto e por sua capacidade de criar!
A lâmpada e a luz é uma estoria linda, emocionante e de grande conteudo reflexivo, coisa comu em tudo que escreve.

Quando você escreveu Arrogancia e Presunção, você se superou e entre as frazes de seu texo, havia uma que me impressionou porque nela eu vi você e ela dizia:

"O escritor passou a noite acordado, criando em sua mente brilhante o enredo, os personagens e tudo mais para escrever sua nova estória que ele resolveu que iria se chamar “ O Grande Maestro” e seus pensamentos fluíam em sua mente com a força de uma tempestade tropical, como se fossem os acordes mágicos de um violino, infinitos como a vastidão o oceano, belos como um sorriso de um bebê e com a mesma voracidade com que correm as pérolas de um colar que se quebra e as esparramam pelo chão."

Linda, absolutamente linda a sua definição de um autor no ato da criação!

Parabéns pela arte, pelo talento e por ser desta forma que és, humilde, simples e com este teu dom de fazer com que as pessoas gostem de você de verdade!

Sucesso na vida, na carreira e principalmente muita saude para que voce possa sempre nos dar de presente tão lindos textos!

Tenha um bom resto de semana e fique com Deus.

SONIA DA ROCHA LIMA disse...

Uaua...!!!Arrasou geral!!!
Que criatividade incrível!!!
Parabéns e que tua luz interior seja repleta de muita luz para continuar escrevendo assim.
Bjsss...milll

Nadja disse...

Que lição maravilhosa, isso vc vive e por isso consegue passar para o teclado pedaços de vc. Viver sem preconceitos, sem discriminação, fazendo cada dia a sua luz brilhar sem que precise apagar as demais. Aquela lâmpada sempre achou que brilhava mais que todas naquele ambiente requitando que era o seu mundo, mas precisou sair de seu pedestal e conhecer a realidade, onde pela primeira vez pode sentir a luz natural, a luz do Criador, aquela que ilumina sem escolher a quem, que não seleciona ricos ou pobres mas que se dá por inteira sem se sentir superior ou melhor, mesmo sendo a maior de todas.
Seu interior é assim, iluminado, vc não faz escala se dando mais ou menos para seus semelhantes, sua luz vem de Deus Maninho, jamais queimará e por isso vc desperta tanto amor a quem te conhece.
Beijos com mt ternura.

Jorge Teixeira disse...

Nas asas da imaginação, o autor criou com primasia um conto que leva o leitor à reflexão através de parábolas e analogia, chegando à conclusão que sua "lâmpada" representa um ser humano, uma pessoa, que justamente pelo fato de ser humana, é passível de equivocos sobre a verdadeira razão de sua existência.
Uma obra fascinante, de uma mente nada menos que bilhante!
Parabéns pelo talento e pelo pder de criação!

Kleber Pacheco disse...

A cada conto escrito, uma nova mensagem, a cada mensagem, um lembrete de que a vida é muito mais do nós imaginamos!
Perfeito!

Abraços!

Prof. Irajá Canoas Figueira disse...

A rede mundial nos possibilita encontrar coisas maravilhosas nela, coisas às quais não teriamos acesso se não fosse por ela, principalmente daqui de Parintins, no interior do Amazonas.
É muito gratificante poder imprimir seus contos e leva-los para serem apresentados e discutidos em sala de aula pelos alunos.
A maioria deles, de origem humilde, mas com uma capacidade imensa de compreender suas mensagens, o que você o faz em uma linguagem quase que universal, pois não é preciso um grau elevado de instrução para poder ler o que você escreve.
Obrigado por me proporcionar momentos de pura magia, olhando os olhinhos atentos e aguçados de meus alunos, enquanto leio teus contos para eles.
Um abraço grande meu mestre !

Roque de Almeida disse...

A voz do coração! Exatamente como o título de um dos seus contos! É assim que eu sinto que você escreve meu amigo! É um raro prazer passar algumas horas lendo e relendo seus contos e a cada vez que os relemos, descobrimos mais e mais mensagens nas entrelinas de seus textos sempre espetaculares!

Paz e sucesso pra ti!

Carlos Augusto Barcelos disse...

Como disse o amigo Roque, nas entrelinhas do que você escreve sempre há muito mais!
Quando seu conto, Um amigo, um amante, uma paixão foi escolhido para ser publicado no livro Entrelinhas, é evidente que não foi só pelo seu talento, mas porque nele, como neste e em tantos outros de sua autoria, o melhor mesmo, está nas entrelinhas.

A lãmpada e a luz, perfeito, melhor não poderia ser!

Parabéns e continue assim!

Luis Enrique disse...

Caro José,

Sou o Enrique, o seu amigo de Hi5. Tive que deixar Hi5 furtivamente e rapidamente. Tenho um blog e deixo-lhe meu endereço mail, é: gilluis_enrique@hotmail.com

Abraço desde a Venezuela

SONIA DA ROCHA LIMA disse...

Amigo,vim rapidinho aqui para te comunicar que tomei a liberdade de colocar o endereço do teu Blog no meu,ok?
Tenha uma lindo dia!
Bjsss...

Flávio Mello disse...

olá... mestre...

o que dizer... redundante eu seria... como sempre delicado e sublime... parabéns... perdoa... ando meio distante de tudo...mas é bom saber que o tenho como amigo nesses momentos.

ISA: disse...

EU AMEI A HISTÓRIA DA "LAMPADA E A LUZ..."
MUITO INTERESANTE, LINDA HISTÓRIA.
ESTA HISTÓRIA SERVE DE LIÇÃO PARA MUITA GENTE QUE SE ACHA MELHOR DO QUE OS OUTROS.
BEIJOS MEU QUERIDO E AMADO AMIGO.
QUE VOCÊ SEJA SEMPRE ILUMINADO COM A LUZ DIVINA.

25 JULHO,2008 22:45

Diana disse...

Meu Deus! em cada texto uma lição... e q lição! sem comentário...
abraços fraternos

Douglas disse...

Bom dia meu querido e amado AMIGO!!! Como sempre você me emociona com seus contos maravilhosos...Parabéns! Suas palavras são especiais, você é especial!!! Grande beijo em seu coração meu AMIGO!!!

mdb disse...

Quem não teve um primeiro amor?
É uma sensação que parece irreal,
pois damos asas a imaginação e voamos para o horizonte onde nossos olhos não podem ver.
O amor deles era lindo , porque não começou no baile, era desde a infância.
Então era concreto, só que nenhum dos dois tiveram a coragem, de se declararem, pois tinha a certeza que a hora não havia chegado.
E foi no aniversário de Gina, onde pela primeira vez ela iria aparecer como mulher e a espectativa dele era de sofrimento e com razão, se nunca entre os dois o assunto amor havia sido tocado. E como sofria o coitado do rapaz! Só vinha em sua mente coisas negativas. Sonhava de olhos fechados; estes sonhos temos que sonhá-lo de olhos abertos para podermos lutar por eles...
Ainda bem que Gina o amava tanto quanto ele e aquela noite foi maravilhosa.Gina se declarou a ele.
E Gina agora está no céu e ele nunca a esquecerá pois tem momentos que ainda pertence somente aos dois.
Ele hoje é um senhor casado que ama sua esposa e família mas tem como todo ser humano tem um presente de Deus que é o pensamento que ninguém consegue invadir e podemos pensar livremente sem magoar ninguém.
Parabéns Jose você hoje tocou em feridas cicatrizadas pelo tempo talvez não curadas definitivamente.
Obrigada meu amigo e escritor preferido, é ótimo voltarmos ao passado pelos seus textos como esse maravilhoso.
Beijos da amiga que adora você,Marilene Dias.

Isa disse...

Eu realmente me emocionei, me tocou profundamente, porque é quase parecida
com a história do meu pai.
Marcas da vida!! e que marcas, é mais profundo do que você possa imaginar.
Eu só não tenho depresão profunda, porque eu não me deixo me abater.
Tenho paz interior, tenho o amor dos meus amigos, e principalmente tenho muito amor no coração.
E por final eu tenho você que me trouxe muita alegria.
Muito obrigado meu amigo José Araujo pelo seu carinho, você me completa..
Eu amo muito você! e suas mensagens que tanto me da conforto.. beijoss

Cesar Romagnolli Jr DF disse...

O que voce escreveu neste conto, nos leva a compreender que muitas vezes nos enganamos quanto ao caminho a seguir, para encontrar a verdadeira luz!

Perfeito, contagiante!

Anônimo disse...

José Araujo:
Eu não tenho palavras para expressar tanta emoção..
Você é uma pessoa iluminada por Deus!!!
Eu só posso dizer que você é muito especial!!!
A sua maneira de ser, o seu carisma, a sua dedicação, e principalmente o seu amor!!!!
E eu até pesso descupa por não falar mais, pois me faltam palavras
para dizer o quanto você é especial
E, como disse o teu amigo:
Amadeu Zeitune Filho
Conserve em seu coração esta pureza tão rara em tempos de violência, de guerra, de mal entendido que levam as desavenças entre as nações!!!
beijos meu anjo lindo!! cada dia eu te amo mais e mais!!!!

isa.dance 10@hotmail.com disse...

José Araujo:
Eu não tenho palavras para expressar tanta emoção..
Você é uma pessoa iluminada por Deus!!!
Eu só posso dizer que você é muito especial!!!
A sua maneira de ser, o seu carisma, a sua dedicação, e principalmente o seu amor!!!!
E eu até pesso descupa por não falar mais, pois me faltam palavras
para dizer o quanto você é especial
E, como disse o teu amigo:
Amadeu Zeitune Filho
Conserve em seu coração esta pureza tão rara em tempos de violência, de guerra, de mal entendido que levam as desavenças entre as nações!!!
beijos meu anjo lindo!! cada dia eu te amo mais e mais!!!!

27 Agosto, 2008 14:40