Páginas

domingo, 27 de julho de 2008

PARA SEMPRE, GINA...



Hoje, depois de tantos anos, após ter vivido tantas e tantas emoções diferentes na vida, sentado nesta cadeira na varanda, lendo um livro de romances e vendo o sol se por, ouvindo os pássaros a cantar nas àrvores do jardim, a beleza deste espetáculo da natureza, me traz de volta a lembrança do meu primeiro amor. Fecho os olhos. É como se eu estivesse no lugar onde nos beijamos pela primeira vez. A orquestra toca Ray Conniff, a música que nos envolve é Moonlight Serenade e o salão, ele está repleto de casais dançando, corpos colados unidos pela magia e sensualidade da musica, pela dança e pela emoção. Palavras de amor são sussurradas nos ouvidos, enquanto nos lábios das jovens convidadas, predominam os batons vermelhos, vermelhos da cor do beijo, do amor, da paixão. Regina, Gina como eu a chamo é uma garota radiante, linda e irá vestir hoje seu primeiro vestido de baile, sei que seus olhos irão brilhar de emoção, postura perfeita, palavras doces e suaves, uma linda mulher que desponta hoje para a vida, para o amor, despertando o interesse de todos os homens que a conhecem. Não sou diferente, sou igual a todos os outros, e me vi enfeitiçado por aqueles olhos ha muito tempo atrás, quando corríamos e brincávamos juntos pelo páteo da escola onde estudamos, mas não tenho coragem de me declarar. Tenho medo de perder a minha Gina e então, prefiro ficar calado, sofrer em silêncio, mas manter pelo menos sua amizade. Cheguei só na festa e logo que entrei no salão, fui primeiro ao toillete para pentear os cabelos ajeitar o traje, para depois começar a cumprimentar os amigos que já haviam chegado. No largo espelho olho para minha imagem e procuro ajeitar a gravata borboleta, o melhor possível.



Camisa branca, terno cinza claro, gravata borboleta em um tecido acetinado, com um tom de azul bem claro, que combina perfeitamente com o cravo de tecido no mesmo tom, colocado na minha lapela. Gosto do que vejo, sei que estou impecável. Saio do toillete e sigo pelo corredor em direção ao hall de entrada do salão, tudo esta perfeito. A harmonia da decoração, o bom gosto da escolha do repertório musical, da orquestra que esta tocando criou um clima inesquecível. Meu coração esta apertado, espero encontrar Gina dançando, ou mesmo sendo flertada por outros rapazes, mas meus olhos percorrem o imenso salão, sem encontra-la. Na noite anterior não dormi direito, pensando em como seria o baile, como eu me comportaria, se eu a visse com outro rapaz, se ela fosse beijada por alguém, não podia sequer imaginar o que meu coração iria sentir, se ele iria se partir em mil pedaços, me trazendo dor e sofrimento pela perda de um amor, platônico até então, mas verdadeiro e sincero. Me pergunto porque eu faço isto, se gosto de sofrer e porque não aceito a ideia de dar meu coração a outra pessoa, ou mesmo o porque de eu não ter coragem de me abrir, de me declarar à mulher que eu amo. Sou covarde, penso comigo...



Risos ecoam pelo ar, pessoas conversam animadamente pelas mesas que rodeiam a pista de dança, não há ninguém desacompanhado, todos tem um amor, um alguém e eu, estou só, na esperança de um dia ter Gina ao meu lado, não como minha amiga, mas como minha namorada, como meu amor. Já se passou algum tempo que cheguei, já conversei com quase todos os presentes e estou ficando desanimado, cansado de representar uma alegria que não sinto, gostaria de sair correndo e voltar para casa, enfiar-me debaixo de um chuveiro, para ver se meu corpo se esfria um pouco, pois o calor que se apossou de mim, está ficando insuportável. Enquanto a orquestra dá uma pausa eu percorro o salão. Olho para todos os lados e não a vejo, não gostaria de ir embora sem vê-la, só ou mesmo acompanhada, mas não poderia deixar de cumprimenta-la nesta noite, tão importante em sua vida. Creio que vou desistir da idéia de ir embora, devo isto a ela, devo isto à minha amiga e mais importante para mim, devo isto ao meu amor. Subo as escadas para admirar alguns quadros que estão pendurados nos corredores na galeria do piso superior. A penumbra torna o ambiente calmo e tranqüilo, um perfeito reduto para alguém como eu.



Admiro as imagens pensando em Gina, em como ela estaria em seu vestido de baile, com estava se sentindo com este evento e meus pensamentos entram em devaneio,. Fecho os olhos tentando imagina-la em seu traje especial desta noite, por um momento parece que ouço sua voz, seu sorriso enquanto fala comigo, e uma voz que perece vir de muito longe me diz...Quer dançar?



Com os olhos fechados, meus lábios sorriem de mim mesmo, isto seria impossível, só em sonho mesmo, falo comigo. Novamente a voz se repete e mais próxima agora... Quer dançar? Sacudo a cabeça, passo a mão pelo meu cabelo, abro os olhos e me volto para trás. Meu corpo se congela, fico perplexo, petrificado mesmo, ela, esta exatamente em minha frente, linda, deslumbrante e com aquele sorriso que só ela tem, que só ela sabe dar, quando realmente gosta de alguém, me olhando do jeito que eu sempre sonhei, mas nunca me atrevi a fazer nada para que acontecesse. Quer dançar? Ela repete, eu continuo paralisado, sem movimentos em meu corpo, só meu coração esta a milhões de batidas por minuto, parece que vai sair pela garganta. Não consigo sequer respirar. Não respondo, apenas fico olhando, ainda duvidando que seja real. Gina se aproxima, a orquestra começa a tocar novamente, ela coloca sua mão esquerda em meu ombro, encosta seu peito no meu, com seu rosto encostado ao meu, começamos a dançar. Neste momento, não são meus movimentos que me fazem sair do lugar, meus olhos fechados, estou flutuando, num sonho lindo, cheio de emoções. Não quero acordar. Seu perfume, seus cabelos, seu calor, me tiram o folego, me fazem delirar, me fazem gemer de amor. Não quero mais parar de flutuar nesta nuvem de sonhos, se abrir os olhos, posso acordar e cair na dura realidade de estar só novamente.



Te amo, sua voz sussurra em meus ouvidos. Estremeço de paixão, não pode estar acontecendo, não é real, penso comigo. Sempre quis te dizer isto mas não tive coragem ela diz. Não posso acreditar. Paramos de dançar, olhos nos olhos, peitos unidos como um só, ela passa a mão em meu rosto num gesto de carinho, que me faz sentir como se fosse a pessoa mais amada deste mundo, fecho os olhos, aproveito o momento, é bom demais para ser real. Com meus olhos ainda fechados, sinto o calor de seus lábios encostados nos meus. Primeiro num leve beijo, como se uma borboleta pousasse em meus lábios rapidamente e levantasse vôo logo em seguida, mas logo um novo beijo, longo, profundo, cheio de calor, amor e emoção. Aconteceu, é real. Um longo abraço nos envolve, ouvimos a voz de nossos corações, contando-nos cada detalhe, de tudo que não falamos um ao outro, por tanto tempo. A musica nos chama, precisamos compartilhar com os outros nossa felicidade. Ela esta linda, parece uma miragem, parece até um anjo que caiu do céu em meus braços. Descemos a escadaria, lado a lado, de mãos dadas, caminhando rumo a um novo mundo, que é o nosso amor.



A orquestra para, a musica terminou. Enquanto descemos a escadaria, todos nos olham com admiração, sou o cara mais invejado da festa, Gina esta ao meu lado, esta comigo, é meu amor. Entramos na pista, ainda de mãos dadas, olhos nos olhos, a musica recomeça, Ray Conniff embala nossos sonhos, começamos a dançar. Casais e mais casais dançam à nossa volta, mas por um estranho mistério, somos os únicos na pista e enquanto giramos ao som da orquestra, parece que a pista se desloca do chão, subindo lentamente, nos levando rumo ao Céu, rumo às nuvens, rumo ao Paraíso, somente eu e Gina, deixando o tempo para trás, e lá embaixo, todos os nossos amigos a nos aplaudir.



Meu gato pula em meu colo, eu abandono meus sonhos, volto à realidade. Já é noite e a lua brilha lá no céu. Uma voz me chama, é minha esposa que me chama para o jantar. Levanto da cadeira com dificuldade, mas antes de entrar, me apóio na soleira, olho para a lua e as estrelas lá no céu e dentre as mais belas estrelas, duas me chamam a atenção. Elas brilham como os olhos de Gina naquela noite do baile. Um sorriso ilumina meu rosto, faço um carinho na cabeça de meu gato que carrego agora em meus braços. É difícil definir o porque, mas eu estou feliz. Talvez porque eu saiba, com toda a certeza, de que o sorriso e o brilho nos olhos de Gina, vão estar preservados para sempre em minha mente, em meu coração. Ela se foi há muito tempo deste mundo, mas está lá no céu, em algum lugar do Paraíso, e pensando bem, pode até ser que aquelas duas estrelas que me chamaram tanto a atenção, possam ser os olhos de Gina, brilhando no firmamento, com toda a sua intensidade, para me lembrar de que até o fim dos meus dias, mesmo eu tendo encontrado outro amor na vida e com ele ter construído uma família, que nosso amor foi verdadeiro, que nos amamos demais e que em meu coração, ela estará sempre viva, que será sempre a minha primeira namorada, meu primeiro amor e não importa o que aconteça, ela vai estar sempre comigo, onde eu estiver. Um amor eterno como já não existem mais, foi o que aconteceu entre nós. Regina, minha primeira namorada, meu primeiro amor, vai ser para sempre, Gina...




Autor: José Araújo



Fotografia: José Araújo – Fotógrafa: Mariana Araújo

37 comentários:

Nadja disse...

Muito lindo, duvido que haja alguém que não sonhe com seu texto de hoje. O primeiro amor ninguém esquece, outros chegam, ficam ou se vão, mas aquele da juventude, o som dos bailes, o murmúrio de amigos ao nosso redor, gente jovem reunida tem um gosto que jamais esqueceremos o seu sabor. Você meu amigo me fez pensar, onde estará meu primeiro amor? Quanto olho o mar, o barulho e o vai e vem das ondas me levam até ele, porque foram testemunhas de um amor que jamais esquecerei. Na realidade o primeiro não esquecemos, mas o último é o que nos fará feliz.
Parabéns meu poeta, amo você

Gloria Meirelles disse...

Meu amigo José, quem lê o que você escreve, só pode esperar coisas preciosas como este conto meu querido!
Já havia lido esta sua estoria a tempos atrás no Uol tendo comentado lá, mas não posso deixar de registrar aqui tambem o quanto você me faz bem com sua arte.
Eu e o Oswaldo estamos juntos por toda uma vida e nós dois tambem tivemos nossos bailes ao som de Glen Miller e por ironia do destino, Moolight Serenade era nossa preferida.
Quantas vezes ele me disse coisas lindas enquanto dançavamos!
Era exatamente como você disse, parecia não haver mais ninguem na pista alem de nós dois.
Tive a sorte de ganhar na loteria e poder estar com meu primeiro amor por toda uma vida e lendo seu conto, por saber que Gina deixou seu personagem narrador e foi para o céu, mais uma vez eu chorei meu amigo, porque um amor tão lindo assim não pode ser desfrutado pelo casal como aconteceu comigo e o Oswaldo.
Você é pura magia meu querido amigo e escritor favorito!
Um beijo desta tua amiga e fã fervorosa que te adora demais!

Glória Meirelles.

Luis Enrique disse...

O primeiro amor nunca se esquece. Seu conto é de uma Beleza impecavel ! Caro, cada conto seu vale mais que qualquer coisa. Eles mexem nos sentimentos mais intimos, nobres e soterrados, quiças, com o tempo esquecidos. De uma suavidade, ritmo e proporção maravilhosos. parabéns !! é um luxo ler vc meu caro.
Lembro ter-me apaixonado por uma garota linda da minha escola primaria. Eu, mais meu melhor amigo daquele então, estavamos babeados por essa menina. Ela era loira, olhos de um azul profundo e uma voz doce. Sempre estavamos apostando por quem ela se apaixonaría primeiro. A gente pediu seu teléfone nas horas do recreio e, os dois (meu amigo e eu) chamavamos ela, só por ouvir sua linda voz. Um dia, ela foi embora, meu amigo e eu ficamos sem ela e sem saber de quem dos dois, ela gostava mais. Mas meu amor único, primeiro e que nunca vou esquecer, faz parte de mim, é de um professor que tive, era um músico maravilhoso, um rapaz interessante, com lindos labios e belas mãos, cantante e tocava variados instrumentos. Apaixonei-me por ele desde o primeiro momento, com a primeira mirada que ele colocou em mim e eu nele. O amor foi tão intenso e forte q até o dia de hoje está presente..como todos os primeiros amores na vida.

bjos

Mada disse...

Que coisa linda José!!
Ai....to aqui suspirando como uma adolescente,falar de amor , do primeiro amor é bom demais e feito por vc então nos leva de volta a idade dos sonhos.Parabéns amigo querido.
Amo vc

Flavio Militello disse...

Sem dúvida você sabe como tocar fundo em meu coração José!
Meu primeiro amor... Nossa! A quanto tempo isto aconteceu e ainda sinto o cheiro da pele, dos cabelos, da pessoa a quem eu mais amei na vida!
É assim mesmo que acontece, a gente nunca esquece o primeiro amor!
Tens a capacidade de falar das coisas da vida com uma propriedade que é só sua José!
Como disse a sua amiga Nadja, eu tambem duvido que haja alguem que não sonhe com este texto!
Lindo, romantico, verdadeiro, uma obra que traz em si a essência do primeiro amor!

Parabéns por mais este conto que como sempre, é perfeito!

Abração e boa semana!

Eduardo Santos disse...

Cara, mais uma vez você me fez chorar! Que coisa mais linda um amor como este! Quem me dera um dia eu possa ter uma lembrança como esta!
Pena que até hoje espero meu primeiro amor, mas do jeito como vão as coisas, o jeito é ir ficando, quem sabe uma hora destas aconteça comigo tambem!
Beijos meu lindo, amo você cara!

Edson Santos disse...

Primeiro amor... Coisa de sonho na vida de alguns, relidade feliz na vida de outras, lembranças doloridas nas vidas de outros, mas este amor, o primeiro, marca a vida da gente para sempre e ninguem como você para nos brindar com um conto tão lindo assim!
Ao contrário do meu irmão, já amei sim, não deu certo, mas carrego em meu peito as lembranças de momentos inesqueciveis!
Obrigado por mais esta leitura doce e suave que só você poderia nos propiciar!

Abraços de seu amigo e fã,

Edson Santos

Oswaldo Meirellles disse...

Caro José, acabei de chegar da casa de meu filho, onde passei o dia com meus netos e sabe do que mais falamos hoje? De você meu amigo! Li para eles novamente seu conto A lâmpada e a luz e eles ficaram sentados ao meu redor, com seus olhinhos atentos como sempre, saboreano cada palavra que você escreveu. Mais uma vez obrigado por me proporcionar este momentos únicos com eles e sua literatura.
Quanto a este conto, eu e a Glória estavamos relembrando a pouco sobre os bailes de outrora, sobre as grandes orquestas, as festas de gala, de quão romantico eram aqueles tempos e nós dois, eu e ela, vivemos um grande amor a vida inteira e este amor foi o primeiro em nossas vidas.
Sem duvida, você tem o dom da escrita, de poder tocar o fundo de nossos corações, trazendo lembranças de um passado maravilhoso que vive dentro de nós!
Parabéns com louvor como sempre!
Sucesso a você e muita saude para que possa escrever cada vez mais e nos brindar com momentos tão especiais!

mdb disse...

uem não teve um primeiro amor?
É uma sensação que parece irreal,
pois damos asas a imaginação e voamos para o horizonte onde nossos olhos não podem ver.
O amor deles era lindo , porque não começou no baile, era desde a infância.
Então era concreto, só que nenhum dos dois tiveram a coragem, de se declararem, pois tinha a certeza que a hora não havia chegado.
E foi no aniversário de Gina, onde pela primeira vez ela iria aparecer como mulher e a espectativa dele era de sofrimento e com razão, se nunca entre os dois o assunto amor havia sido tocado. E como sofria o coitado do rapaz! Só vinha em sua mente coisas negativas. Sonhava de olhos fechados; estes sonhos temos que sonhá-lo de olhos abertos para podermos lutar por eles...
Ainda bem que Gina o amava tanto quanto ele e aquela noite foi maravilhosa.Gina se declarou a ele.
E Gina agora está no céu e ele nunca a esquecerá pois tem momentos que ainda pertence somente aos dois.
Ele hoje é um senhor casado que ama sua esposa e família mas tem como todo ser humano tem um presente de Deus que é o pensamento que ninguém consegue invadir e podemos pensar livremente sem magoar ninguém.
Parabéns Jose você hoje tocou em feridas cicatrizadas pelo tempo talvez não curadas definitivamente.
Obrigada meu amigo e escritor preferido, é ótimo voltarmos ao passado pelos seus textos como esse maravilhoso.
Beijos da amiga que adora você,Marilene Dias.

Elisa disse...

Escreves de uma forma que parace que estamos vendo as cenas que vivem seus personagens e o devaneio do seu "relator" foi passado de um jeito que a gente compreende as sensações dele enquanto relembra seu primeiro amor.
Um conto que mexe com os sentimentos adormecidos em nossos corações e para conseguir fazer isto, você é um mestre, um mágico, um hipnotizador.!

Adorei principalmente quando ele se levanta com dificuldade, se apoia na soleira e olha para a lua e as estrelas e nelas imagina que duas delas, são os olhos de Gina, brilhando como na noite do baile.

Sensacional!

Obrigado por me fazer viajar em seu texto, a um lugar muito especial para mim!

Beijos! Tua fã, Elisa Mascarenhas

Paulinha disse...

Envolvente, cativante, a gente quer saber do final desde as primeiras linhas e no trajeto, as emoções transbordam de nossos corações!

Que capacidade você tem de nos envolver!

Um escritor como você, marca a vida da gente pelos momentos que nos faz viver mental e emocionalmente!

Beijos querido!

Sucesso, sempre!

David C. Tavares de Sá disse...

Não há o que dizer!

Fantástico!

Ainda não me recuperei da emoção que tomou conta de mim!

Você é tudo José Araújo, tudo e muito mais!

Abraços fraternos do seu amigo que te ama demais!

Anônimo disse...

É por isto que eu amo você José!
Esta tua capacidade de trazer a tona lembranças ha muito guardadas em meu coração!
Ninguem me toca tão fundo quanto você meu querido amigo!

Para sempre, Gina...

Você é demais!

Wilson Barbosa disse...

Com que suavidade, com que encanto e com que doçura você escreve José!
Nada é mais gratificante do que poder tirar alguns minutos para mim e poder ler teu contos!
As mensagens neles contidas fazem bem à alma e ao coração!
De forma única, você consegue transmitir aos teus leitores suas mensagens de amor, de fé, de crença de que este mundo pode ser melhor para todos através do amor!
Estaria eu caindo na mesmisse se lhe desse meus parabéns, mas numa única palavra posso descrever o que penso de você!

Namaste!

Alvaro Garcia disse...

A descoberta do amor através do primeiro amor!
Quem mais escreveria de forma tão marcante esta fase mágica na vida da gente se não você José?
Amo tudo que você escreve porque sinto profundamente que você escreve com a alma, com o coração e " Para sempre, Gina..." é mais uma prova disto meu querido!
O mundo mágico do primeiro amor nos acompanha a vida inteira e só nâo se apaixona por este conto quem nunca amou na vida!
Mais do que emocionante, este conto envolvente nos faz viajar no tempo e no espaço, flutuando nas lembraças boas de um passado muitas vezes distante como o meu, mas não importa a quanto tempo, ou com que idade seu leitor esteja, certamente se teve um amor na vida, irá reverenciar seu talento com as palavras e seu poder de tocar os corações!

Deus te proteja meu amigo e o mantenha sempre assim, puro, mágico, como um ser saido de contos de fadas, que veio resgatar os sonhos na mente de humanidade!

Parabéns, sempre e que teu caminho seja sempre repleto de inspirações, porque assim nos trará certamente outros contos tão lindos ou até mais do que este!

Seu amigo de fé e leitor de coração,

Damásio de Sá disse...

Caro José Araújo, andei lendo muitos de seus contos e pude constatar o que me havia dito sobre você seu trabalho como escritor.
Posso dizer que ha muito tempo não encontro contos tão lindos e tão cheios de sentimentos e mensagens positivas no mercado literário nacional.
Você tem talento e muito, só precisa de um empurrão e de uma boa campanha de divulgação de suas obras para decolar como um foguete a caminho de conquistar o Brasil e o mundo com seu jeito simples de escrever e de seu dom de conquistar os corações dos leitores que de alguma forma tem acesso ao seu acervo de contos.
A única coisa a que me proponho a fazer é lhe pedir um favor.
Não deixe que nenhuma editora desvirtue este teu dom especial de escrever com sentimentos, com emoção.
Você sendo bem trabalhado, não irá precisar fazer nada além de escrever, porque o mundo atual precisa de esperanças de um mundo melhor.
Sei que não sou o unico a dizer isto, mas acredito que quando for publicar seu primeiro livro solo, deve colocar como título a frase que o destacou no Orkut com mais de 60.000 scraps. " Por um mundo melhor..."!

Assim como em todos os seus títulos pude perceber os treis pontinhos no final da frase, deixando a imaginação do leitor fluir junto com ela, você no geral nos faz imaginar o que virá depois.
Um talento único nos dias de hoje e que deve ser reconhecido como se deve!

Material de primeira qualidade você já tem e dentre os que mais gostei estão os títulos abaixo e que acho sinceramente que deveria junta-los num único livro para alegria de seus leitores.

A LAMPADA E A LUZ..., O ESCRITOR DE EMOÇÕES... O LAGO DAS BATATAS... O SABIÁ E A DIFERENÇA, ENTRE O AMOR E A PAIXÃO... NOS JARDINS DO PARAÍSO... PARÁBOLAS DE UMA VIDA... REJEIÇÃO, AMOR E DEVOÇÃO... O TREM AZUL... É A DIFERENÇA, QUE FAZ A DIFERENÇA...
ARROGÂNCIA E PRESUNÇÃO... PADRÕES... UM PEDIDO ESPECIAL... A TAMPINHA PREMIADA... O CAÇADOR DE CONCHAS... A PERSONAGEM... PERGUNTAS E RESPOSTAS...CISNE BRANCO...

Sei que há muitos outros publicados no Uol onde o descobri e sei tambem que virão muito mais, mas estes são até o momento os meus preferidos e te-los num livro de cabeceira, não poderia me fazer mais feliz!

Saudações profundas!

Seu admirador e leitor,

Prof. Fernando Damásio de Oliveira

Jefferson D`Almeida disse...

Inebriante, envolvente, nem sei mais quais adjetivos usar para descrever seus trabalhos, mas de uma coisa eu sei:

Me apaixonei por você e pelo seu talento nato de escritor!

Fica bem!

Abração!

Hector Piodovani Muniz disse...

Quando você foi concebido, toda a sensibilidade de um ser humano ficou aos seus cuidados e mesmo sem saber disto, você nos toca a todos com se poder único de nos fazer refletir.

Não acredito que haja alguem que tenha lindo qualquer um de seus contos, que não tenha sentido que foi tocado no coração!

Seu poder é grande, seu talento é imenso e seu carisma o faz algo de extraordinário, pois ao ler os comentários, neste e em outros posts seus, pode-se ver e sentir o quanto todos te amam José!

Considere-se um iliminado e nunca deize sua luz diminuir!

"Para sempre, Gina..." é o título de seu conto, mas para mim é " Para sempre, Ana..." a primeira e única mulher que eu amei em toda a minha vida!

Obrigado pelas lembranças que me trouxe rapaz!

Beijão!

Rubens D. Viana - GJA disse...

Grande José Araújo!

Neste trecho de seu conto eu me vi:

"Me pergunto porque eu faço isto, se gosto de sofrer e porque não aceito a ideia de dar meu coração a outra pessoa, ou mesmo o porque de eu não ter coragem de me abrir, de me declarar à mulher que eu amo."

Ha tempos atrás, pensando se deveria ou não me declarar, eu me demorei muito e como a vida não para, meu primeiro amor ficou sendo platônico, até que um dia nos reencontramos, eu viuvo, ela tambem e não poderia ter sido diferente, eu me declarei...

Empolgante, romantico, emocionante, não poderia ser melhor e ter acertado meu coração de outra maneira!

Um escritor de peso que não pode ser avaliado, porque não tem preço!

Parabéns pela arte, pelo talento de escritor e por ser este ser humano lindo, simples, cativante e que respeita a todos sem exceção!

Lisa Maia disse...

Só um escritor de tanto talento para descrever em um conto o primeiro amor!
É gratificante saber que nestes tempos onde "ficar" é o que conta para os jovens, ainda existem corações como o seu que conseguem dar vida às lembranas de um primeiro amor!

Amei meu escritor amado e preferido de sempre!

Beijocas com amor!

Elton Magalhães Loureiro disse...

Voce num todo, homem, escritor, fotografo, de uma beleza espiritual imensa, excerce um fascinio que eu acredito que poucas pessoas neste mundo possam resistir sem quer te conhecer melhor. Seja homem, seja mulher, criança ou adulto, você conquista corações e com seus contos nos leva a viagens que estão guardadas nos nosso mais intimos pensamento e segredos.
Para sempre Gina..., é em si uma pequena amostra do que você é capaz de escrever com toda a sua sensibilidade que é o sonho de muita gente para o companheiro perfeito!

Lindo demais, é algo que envolve a gente desde as primeiras linhas, é como se um filme estivesse passando em nossa mente e por final acabamos quase que por viver as sensações e sentimentos de seus personagens!

Parabéns pelo talento inconfundivel!

Beijos e uma boa tarde pra ti José!

Rafael Soares de Almeida Jr. disse...

A gente sonha, a gente vive, a gente aprende a cada dia nesta vida e de vez em quando a gente se surpreende ao encontrar pessoas únicas como você!
São raros os homens que demosntram toda a sensibilidade que tem e você o faz sem preconceitos, sem receio, você se mostra como é, não é preciso tentar te decifrar porque você é o que é, uma pessoa impar e copm um coração de uma magnitude sem igual!
A cada conto seu, fico imaginando que mais virá depois e fico esperando com ansiedade sua próxima publicação que tem me feito um bem enorme José!
Antes triste e ressabiado com a vida, vivia a tentar entender muita coisa que nos a contece no dia a dia, o porque das coisas serem como são, mas depois que comecei a ler seus contos e compreender suas mensagens de fé, de amor, de esperança em um mundo melhor, com mais igualdade, mais respeito, sem preconceitos que fazem tanto mal às pessoas, passei e me liberar mais, a demosntrar o que sinto, da forma que sinto e hoje vivo muito melhor.
Te agradeço José, de todo coração por surgir em minha vida que antes era um mundo de escuridão, sem amor, sem carinho e agora é cheia de cores, de esperanças, porque entendi que quando você escreveu emum de seus contos que "a esperança é o cabide onde penduramos nossos sonhos até que sejam realizados" é a mais pura verdade.
Não desisti de sonhar,de ter esperanças graças a você e sua luz interior e exterior.

Amo você por isto meu amigo e mesmo sem nunca te-lo visto na vida, sei que é real porque é assim que você se mostra, com toda a sua simplicidade que tanto me faz bem!

Amo você de coração meu amigo!

Sucesso na vida e em todos os campos de sua vida!

Beijos eternos!

Sidney Mendonça SJC disse...

Fascinante!

Como é que você consegue ser assim para mim é um mistério, mas o fato é que eu me apaixonei por você e por tudo que você faz e representa para tanta gente que te ama!
Deus te preserve assim, um anjo que caiu do céu para nos trazer a paz interior que tanto buscamos pelos séculos afora!

Um abração, com todo meu carinho e amor sincero que sinto por você!

Cesar Luiz Ferraz disse...

Um talento novo, um escritor de peso que nos traz em seus textos a fantasia, a realidade, a fé, a esperança e mais do que tudo o amor pelo próximo tão esquecido dentre a humanidade.

Seu romantismo e sensibilidade vão além do que se possa acreditar nos dias atuais e é isto que a humanidade precisa, ou seja, deixar de ser realista ao extremo e reaprender a sonhar, porque a vida também é feita de sonhos, pode acreditar!

Te adoro cara e saiba que este sentimento é verdadeiro, muito real!

Pedro Ortega Romarin disse...

Já li muito em minha vida e continuo a ler, desde os autores nacionais, até os grandes autores estrangeiros e sou testemunha de que não há hoje em dia nada similar a você!
Às vezes acho que você saiu de algum livro de estorias, que é um personagem interpretando a vida, mas sinto em você uma força infinita de transmitir confiança, de fazer com a gente goste de você!
Ler seus contos é sempre um prazer imenso e sempre que posso, dou uma parada no que estou fazendo, seja em casa ou no trabalho e acesso seu Blog à procura de uma luz para o que me aflige e nunca fiquei sem ler a frase correta para o que estava me incomodando.
Um escritor diferente para os padrões de hoje, que surgiu do nada em minha vida de navegante neste imenso oceano da Internet, mas que me fez acreditar de novo nas pessoas, no poder do amor e da fé, independente de religiões ou crenças o que me faz muito bem!

Parabéns pelo ser humano impar e pelo escritor maravilhoso que você é!

Que a vida lhe dê tudo de melhor, mas principalmente saude e inspiração para escrever, porque não só eu, mas muitas outras pessoas precisam de você!

Beijos com todo meu amor José!

Seu amigo e mais um dos milhares de fãns que você tem e não é sem motivo!

Celso A. Barro Novo disse...

Depois de tantos anos, desde nossa juventude, eu te encontro de novo e você não mudou, continua o cara perfeito que é o sonho de muita gente. Talvez não se lembre, mas nossa amizade foi muito especial e eu José, lembro muito bem de tudo que você representou em minha vida, de tudo de bom que você fez por mim e pelo desenvolvimento de minha personalidade de hoje.
Pessoas aparecem e desaparecem da vida da gente, mas para mim você esteve sempre vivo, dentro de meu coração e por mais distante que estivessemos, sem noticias um do outro, eu fechava os olhos e via sua imagem sorrindo para mim e me dizendo o quanto era meu amigo, igual aos velhos tempos e isto sempre me fez muito bem e sabe porque?
Porque eu sempre te amei cara e para falar a verdade, acho que sempre vou amar.
Saudades meu querido!

Teu mais que amigo, Celso!

Silvia M. Takahashi disse...

Meu lindinho! Que coisa mais deliciosa este conto! Quem é que não chora de emoção ao ler esta estoria! Como eu gostaria de ter um amor assim na vida! Daria tudo para ter vivido na época em que viveram seus personagens!
Sou uma romantica inveterada e ainda espero por um principe montado num cavalo branco para me salvar da solidão amorosa que vivo!
Adoro ser sua amiga, amo ler o que você escreve e você sabe que em meu caso é muito dificil encontrar este principe, pois a beleza fisica passou longe de mim, mas ainda assim, eu não desisto e não o faço graças a você que tyem me dado forças para seguir em frente e enxergando minha verdadeira beleza que é a interior!

Amo-te Zézinho! rsrs

De coração!

J.G.Calazans disse...

Palavras bem colocadas, narração detalhada em poucas palavras, de uma maneira sútil, você faz com que cada leitor crie em sua mente a cena que desenrola em seu conto.
Vem de dentro de você José, é nato.
Isto é arte, é talento, é sensibilidade para compreender, que não são sentenças extenças, tentando criar em nossas mentes as imagens das cenas vividas pelos personagens que vão nos prender à leitura.
Em certo momentos, palavras se repentem,uma, quase em seguida da outra.
Para quem não entende, pode ser um erro grave, mas com sua habilidade elas são colocadas de modo extratégico e o resultado, é sensacional!
Um texto como este, nas mãos de um bom copydesque, revisado e organizado, pode fazer um imensa diferença, mas na verdade a alma do conto, é você meu caro escritor e não importam as alterações que ele deseje fazer, é função sua aceitar, ou não.
Desejo-lhe sucesso nesta dificil jornada literária José!
Abração!

Bueno Jr. disse...

Uma das coisas mais interessantes sobre ser escritor, é quando ele cria uma estória da maneira correta, a mente do leitor preenche as possíveis lacunas de um texto e isto você consegue fazer com maestria em seu contos.
Uma pedra preociosa em estado bruto, precisando apenas ser lapidada.
Que Deus coloque em seu caminho um lapidador à altura de seu valor meu amigo!
Boa sorte e meus parabéns, pois o mais dificil você já conseguiu. Atraiu a atenção e carinho, de uma legião de leitores!

Nara Maria disse...

Nossa!!! Estou emocionada e com os olhos marejados de lágrimas. Lendo seu conto, viajei no tempo e me senti a própria Gina. Só vc, escritor de um coração repleto de amor, consegue nos inebriar com tanta magia. Verdade, José, ninguém esquece o primeiro amor! Parabéns mais uma vez por nos tocar com sua suave sensibilidade, fazendo-nos literalmente, viajar no tempo e no espaço.
Sucesso sempre, amigo do meu coração, e obrigada por nos premiar com tão lindas palavras.

Sergio Furlanis disse...

Regina,era este nome da minha primeira namorada e por incrivel que possa parecer, nosso caso foi muito parecido como dos personagens de seu conto.
Foi uma experiencia de vida que ficou marcada em meu coração para sempre e ao ler esta estoria, relembrei momentos únicos e minha vida.
Obrigado por tirar lá do fundo de meu coração,lembranças de um passado lindo e que nunca vai morrem dentro de mim.
Para sempre, Regina!

Abraços e sucesso, são meus votos sinceros!

Everton de Castro Maya disse...

Uma completa e absoluta terapia é o que se encontra em seu Blog!
Palavras de amor, de paz, de fé, de esperança, coroadas por textos absolutos e únicos.

Parabéns!

Jorge Tadeu Munhoz disse...

Por noites a fio, minha insônia me maltratava e eu navegava na internet à procura de encontrar uma meneira desesperada de passar o tempo, mas quando encontrei seu Blog tudo mudou.
Descobri que minha incapacidade de dormir era carencia de amor, de fé, de esperança e foi aqui que encontrei meu remédio milagroso.

Obrigado por nos passar em cada texto sua maneira toda especial e única de enxergar a vida com outros olhos, os olhos do amor e da esperança em um mundo melhor!

Beijos! Adorei encontrar você!

Hermano Loyola Jr. disse...

Só quem ama ou amou na vida, pode compreender e sentir a profundidade da mensagem que seu conto nos traz!
É sempre bom saber que ainda existem escritores como você que falam de amor sentimento, não apenas de amor sexo, pois eles são como a agua e o vinho, um é produndo e verdadeiro, o outro é passageiro, do jeito que vem, ele vai.
Belissimo trabalho meu caro!

Parabéns por "Para sempre, Gina..." e por todos os demais contos de sua autoria, pois neles há conteúdo, não apenas uma sequencia de palavras sem nexo e sem colocação.

Raquel Maria Assumpção disse...

Que dizer de um escritor como você?
Em todos os contos de sua autoria que tive o prazer de ler, há sempre algo especial e que toca o coração do leitor de uma forma única, algo que só você consegue fazer.
Talvez eu não tenha tido a oportunidade de ler contos de outros autores, que sejam como você e por isto me impressionei com seu trabalho, mas acredito que nesta época tão dificil de se conviver e sentir, você seja uma gota, num oceano de carência em que vive mergulhada a humanidade.
De qualquer forma, uma "gota" no oceano da vida, com o poder que você tem de conquistar o carinho e atenção das pessoas, aos poucos pode mesmo fazer deste mundo, um lugar melhor para se viver!

Perfeito! Inconfundivel, José Araújo!

Bjs!

Margarida Duprat disse...

Me apaixonei!!!!
Que linda esta historia José!
Queria tanto ter um amor assim!
Hoje está dificil, os homens só querem ficar, mas eu não!
Quero alguem só para mim, que me ame como seu personagem ama a Gina!
Sonhadora eu sou e vou continuar a ser, mesmo não sonhando com um principe encantado, sonho com um homem que me faça sentir feminina, querida, desejada e amada!
Adorei, não adorei é pouco!!
Amei de paixão!!!

Beijocas apaixonadas da sua amiga que não tem conserto de tão sonhadora que é! rsrs

vera pariz disse...

MEU AMIGO PERFEITO,VIAJEI PRA BEM LONGE AGORA,VOLTEI NO PASSADO.MAS FICO ME PERGUNTANDO SE ISSO REALMENTE É VERDADE,SEI QUE AMOOOO TD QUE VC ESCREVE,E ME SINTO DENTRO DESSES CONTOS.LINDÍSSIMO AMIGO...MARAVILHOSO.....VC É SENSACIONAL...GDE BEIJO NO SEU CORAÇÃO....TE ADORO VIU?DEUS TE ILUMINA SEMPRE....E SEMPRE...